sábado, 26 de março de 2011

Produtores da Transacreana ganham silo graneleiro e fábrica de fubá

Tião Vitor  

Governador anunciou instalação de mais 127 quilômetros de linhas do Luz Para Todos na região
A região da Transacreana é uma das que apresentam maior produção agrícola do Acre (Foto: Sérgio Vale/Secom)

O governador Tião Viana anunciou na manhã desta sexta-feira, 25, o investimento de mais de R$ 2,5 milhões para a construção de um silo graneleiro para atender os produtores de milho instalados ao longo da estrada Transacreana.

Durante o evento, o governador atendeu à solicitação dos produtores e disse que vai mandar construir no local uma fábrica para o beneficiamento do milho e fabricação de farinha de fubá. Tião anunciou ainda o investimento de outros R$ 2,5 milhões do governo federal para a instalação de mais 127 quilômetros de linhas de energia do programa Luz Para Todos, beneficiando milhares de famílias nos diversos ramais que existem naquela localidade.

O silo e a fábrica de fubá devem ser construídos no quilômetro 52, na propriedade do produtor Juarez Rodrigues, que doou o terreno de um hectare. Foi ele que aproveitou a oportunidade para pedir a construção da fábrica de fubá ao governador. “Precisamos armazenar o milho, mas precisamos também de uma fábrica instalada aqui para que a gente não seja obrigado a vender nossa produção para ser beneficiada fora do Acre”, disse o produtor.

A região da Transacreana é uma das que apresentam maior produção agrícola do Acre. Ali, em 2006, foi iniciado um trabalho de produção mecanizada. Um grupo de produtores, com o apoio do governo do Estado, comprou equipamentos e iniciou o plantio de milho e outras culturas. O negócio, que começou com apenas oito produtores, hoje já soma mais de 300.

“O governo acreditou na gente e correspondemos com produção. Hoje crescemos tanto que precisamos de um local para armazenar e uma fábrica para agregar valor ao nosso produto”, disse José Augusto Pinheiro, presidente da Cooperativa de Produtores Rurais de Mecanização Agrícola do Estado do Acre (Coopermat).

Governador Tião Viana anunciou investimento de mais de R$ 2,5 milhões para a construção de um silo graneleiro para atender os produtores de milho instalados ao longo da estrada Transacreana (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Augusto lembrou que sua cooperativa fez a solicitação do silo graneleiro ao governador Tião Viana no ano passado, quando ele ainda era senador da República e candidato ao governo. “O governador cumpriu sua promessa e está nos dando muito mais do que solicitamos”, agradeceu Pinheiro.

O governador Tião Viana disse que o cumprimento de compromissos assumidos com os produtores é prioridade, haja vista que conhece a capacidade produtiva daquela região e sabe que muito pode ser feito se o governo do Estado se colocar como parceiro.

Tião lembrou que os recursos utilizados para construção do silo são oriundos do governo do Estado, mas a presidente Dilma Rousseff também está garantindo apoio aos produtores acreanos. Prova disso, afirma o governador, é a liberação de recursos para a continuação do programa Luz Para Todos na Transacreana.

Tião disse que já está  tudo pronto para a construção do silo. “A licitação para a construção do silo vai ser aberta no dia 11 de abril, e já na semana seguinte a obra pode ter início”, afirmou o governador. “Eu tenho certeza de que até o fim do ano vamos inaugurar essa importante obra.”

O evento realizado nesta sexta-feira contou com a presença do prefeito de Rio Branco Raimundo Angelim, do senador Jorge Viana, do deputado federal Sibá Machado, do deputado estadual Geraldo Pereira Maia, de representante do Banco do Brasil e o do superintendente do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo, do diretor-presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Júlio Valentim, de lideranças de produtores rurais, de secretários de Estado e do município, produtores e técnicos da Seaprof de todos os municípios que participam de curso de capacitação em Rio Branco, de produtores rurais e populares.

O prefeito Raimundo Angelim lembrou os investimentos feitos na Transacreana e a determinação dos produtores de lá para ampliar a área plantada e a produção agrícola.

Angelim agradeceu o apoio recebido do governo do Estado e disse que muito do que tem sido feito no local é graças à parceria entre governo e prefeitura. “Eu agradeço muito ao governo do Estado, na pessoa do governador Tião Viana. Graças ao seu empenho e de sua equipe, a gente tem conseguido fazer muita coisa em Rio Branco”, disse.

O senador Jorge Viana falou do quanto a região da Transacreana era carente e o quanto os produtores ali instalados sofreram para receber algum benefício. Jorge contou que a sorte daqueles produtores começou a mudar a partir do asfaltamento da estrada, obra realizada a partir do governo da Frente Popular. “Demos o pontapé inicial para mudar a vida dessas pessoas a partir do primeiro quilômetro asfaltado, do primeiro poste de energia que colocamos aqui, e muito mais que tem sido feito ao longo desses anos”, relembrou Viana.

Agência de Notícias do Acre

terça-feira, 22 de março de 2011

PRIMEIRO LOTE DE OVINOS ESTÁ NO ACRE


Luiz Felipe   

Os 400 animais estão se ambientando no Parque de Exposições depois da longa viagem de cinco dias

Este primeiro lote beneficiará 30 produtores rurais que já se cadastraram, receberam a vistoria dos técnicos da Secretaria de Estado de Agropecuária e da Secretaria Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Foto: Angela Peres/Secom)
Estão saudáveis, alimentando-se e se ambientando ao clima. Após o estresse da viagem entre a cidade de Valente, distante 250 quilômetros de Salvador (BA), e Rio Branco, as quatrocentas ovelhas das raças Santa Inês e Dorper estão sendo preparadas para ser entregues aos produtores rurais que já foram cadastrados e estão aptos ao manejo dos animais. O governador Tião Viana entregará este primeiro lote do total de 20, nesta terça-feira, 22,  a partir das 11h30, no tatersal da Expoacre.

A atividade da ovinocultura ainda é  embrionária no Acre, mas o governo do Estado está estimulando a melhoria genética, aumento de volume da produção e o fechamento da cadeia produtiva através do apoio à instalação de um frigorífico e do fortalecimento da criação. Ao todo, serão oito mil animais que serão entregues a 600 produtores rurais até o mês de setembro deste ano.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Governo assina convênios para obras de pavimentação de ruas

Tião Vitor  



Processo de fabricação de tijolos seguirá padrões técnicos de qualidade. Todos os municípios acreanos serão pavimentados pelo governo do Estado




O governador Tião Viana falou da necessidade de se ter insumos de qualidade para o desenvolvimento das obras de pavimentação de ruas (Foto: Angela Peres/Secom)

O governador do Acre, Tião Viana, assinou na tarde desta sexta-feira, 18, dois convênios que garantem a qualidade e a durabilidade dos insumos utilizados no Programa Estadual de Pavimentação de Vias Urbanas a ser desenvolvido pelo Departamento de Estado de Pavimentação e Saneamento (Depasa). O programa prevê a pavimentação de todas as ruas de todos os municípios com tijolos maciços produzidos pelas olarias do Estado.

O primeiro convênio foi assinado entre o Depasa e a Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), que fará o controle tecnológico de pavimentação e de qualidade de tijolos maciços a serem utilizados no calçamento de vias urbanas. Já o segundo, firmado entre o Sindicato das Indústrias de Olarias do Estado do Acre, a Funtac e o Depasa, tem por objetivo o estabelecimento de critérios mínimos de qualidade de tijolos maciços a serem utilizados nas obras.

A Funtac já realizou mais testes em laboratório e já desenvolve técnicas de fabricação de tijolos de maior resistência e durabilidade. A Universidade Federal do Acre (Ufac) deverá participar dos estudos através do seu Departamento de Engenharia.

O governador Tião Viana falou da necessidade de se ter insumos de qualidade para o desenvolvimento das obras de pavimentação de ruas. Ele contou que esse é um dos mais importantes programas de seu governo, pois possibilitará a melhoria da qualidade de vida das populações de todos os municípios do Estado, bem como deve gerar emprego e renda em diversos setores da economia.

“Gostaria de lembrar uma história que me foi contada pelo diretor do Depasa, Gildo César, que trata de uma jovem que morava em uma rua onde havia muita lama. Para ir à aula, todo dia ela tinha que colocar sacolas plásticas nos pés. Quando chegava à escola, os colegas zombavam dela. Ela se sentia tão envergonhada que acabou com um bloqueio e não queria mais ir à aula”, disse o governador. “Queremos evitar situações como essa, queremos dar dignidade às pessoas e melhorar a qualidade de vida de todos.”

Gildo César falou dos números do programa. Segundo ele, serão pavimentados 4.550 milhões de metros quadrados de vias, utilizados 318 milhões de tijolos e 1.820 milhões de metros cúbicos de materiais. “São números grandiosos, porém, maior é a vontade do governo do Estado em desenvolver essa obra e a necessidade do povo. Por isso estamos trabalhando para que as pessoas tenham uma vida melhor”, disse o diretor.

O diretor-presidente da Funtac, João César Dotto, disse que um programa grande como esse não pode deixar de ter um grande programa de controle de qualidade. “É esse um dos objetivos desse termo de cooperação técnica que estamos firmando”, contou. “Cabe à Funtac realizar desde a análise do pavimento, da base, da sub-base e do leito das vias até a qualidade e durabilidade dos tijolos.”

O presidente do Sindicato das Indústrias de Olarias, Aristides Formighieri Júnior, disse que as indústrias estão confiantes e que os números apresentados mostram o desafio que todos devem enfrentar para garantir o sucesso do programa. “Esse é um plano audacioso que tem tudo para dar certo. Ele fortalece ainda mais a indústria acreana, principalmente da construção civil, que já vinha em franco crescimento nos últimos doze anos”, disse o empresário.

Carlos Sassai, presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil, lembrou que o governador Tião Viana está resgatando uma cultura acreana que vinha sendo esquecida nos últimos anos, a cultura da pavimentação com tijolos. “O resgate dessa cultura traz muita coisa de bom para o Acre. Entre elas a geração de trabalho para aqueles senhores que estavam fora do mercado de trabalho, mas que têm muita experiência na realização desse tipo de obra, haja vista que o Acre de antes valorizava muito essa modalidade de pavimentação”, disse.,
agencia.ac.gov

quinta-feira, 17 de março de 2011

Programa Olhar Brasil beneficia alunos jovens e adultos em Acrelândia

Marcelo Torres, assessoria Sesacre  

Mais nove municípios serão beneficiados ainda no primeiro semestre

Dificuldade para enxergar é dos grandes motivos para evasão escolar (Fotos: Assessoria Sesacre)

A Secretaria de Estado de Saúde, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação, realizou na manhã desta terça-feira, 15, em Acrelândia, a entrega de óculos para cerca de 30 pessoas por meio do Programa Olhar Brasil.

Os beneficiados foram os alunos do Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos (Mova), que adquiriram os óculos para dar continuidade aos estudos, passando a ler melhor e contribuindo também para sua qualidade de vida. Como explica o coordenador do Programa Social de Saúde na Escola, médico Rutênio Sá, “o objetivo é proporcionar o aprendizado e diminuir a evasão escolar, melhorando a qualidade do ensino e da vida dessas pessoas”.

Sá destaca ainda que o processo de adaptação com as novas lentes de grau é de 25 a 30 dias. "É preciso ter alguns cuidados na hora da higienização das lentes, para não causar manchas nem arranhões", orienta.

Desde o início do ano, já foram beneficiados com a entrega dos óculos aproximadamente 15 municípios. Os próximos a serem contemplados, ainda neste primeiro semestre, são Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Plácido de Castro, Capixaba, Porto Acre, Bujari, Brasileia e Epitaciolândia.

Oportunidade

Crizelda Ribeiro é dona de casa e comenta a satisfação de receber os óculos. “Agora posso aproveitar mais as aulas, posso ler a Bíblia e fazer o que mais gosto, que é costurar. Sem essa oportunidade, não conseguiria realizar uma consulta nem comprar os óculos com a renda que tenho.”

Já o aposentado Sebastião Azevedo afirma que ficou satisfeito com essa iniciativa do governo. “Sem o programa não conseguiria dar continuidade às aulas, pois ler era um problema, já que enxergava tudo embaçado. Agora posso concluir minha alfabetização”, destaca.

O Programa Olhar Brasil teve início em 2009, numa iniciativa dos ministérios da Saúde e da Educação, com o intuito de capacitar os professores para identificar alunos que possuam limitações na visão, garantindo o direito de ter acesso à educação e saúde, resultando no bem-estar do indivíduo e no fortalecimento da cidadania.   
Agência de Notícias do Acre

Primeiro lote com ovelhas e carneiros está a caminho do Acre

Washington Aquino  

Animais serão distribuídos pelo governo do Estado; investimento inicial é de R$ 2,5 milhões

Rio Branco terá um abatedouro de ovelhas e carneiros para garantir a produção em larga escala da carne e derivados (Foto: Sérgio Vale)

Valente, no sertão da Bahia, fica a 242 quilômetros da capital, Salvador, e tem uma população aproximada de 40 mil habitantes. Seria mais uma cidade qualquer, entre centenas de outras que compõem esse importante Estado nordestino, se não tivesse a calma do dia-a-dia constantemente quebrada pelo barulho dos rebanhos de ovelhas e carneiros que cruzam suas ruas nas carrocerias das carretas e caminhões ou atravessando as inúmeras estradas vicinais.

São elas que ligam as propriedades rurais que se dedicam exclusivamente à criação e aperfeiçoamento genético desses animais voltados à exportação para várias partes do país. “Daqui saem diariamente lotes com matrizes e reprodutores para São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Roraima, Goiás, enfim, felizmente nosso pessoal não consegue ter descanso”, diz, satisfeito, Carlos Alberto Guimarães de Oliveira, dono da Fazenda Pedra Bonita.

É de lá que virão as 7.400 fêmeas e os 600 machos que serão entregues pelo governo do Estado, a partir da próxima semana, aos 600 criadores inseridos nesse programa de formação da cadeia produtiva da ovinocultura. Cada um receberá um macho e doze fêmeas. “Como pode haver duas crias por ano, com cuidado, em pouco tempo, o plantel se multiplicará. E o governo vai acompanhar a evolução desses rebanhos, um a um”, assegura o secretário de Agricultura e Pecuária, Mauro Ribeiro.

O primeiro lote, com 370 ovelhas “Santa Inês” e 30 carneiros “Dorper”, com idade entre oito e doze meses, já saiu da Bahia, devendo chegar a Rio Branco até o fim de semana. O cruzamento dessas duas raças resulta num animal forte e excelente para a produção de carne de qualidade. “Por ser rústico, é também de fácil adaptação em qualquer região”, ressalta o veterinário Alan Palu, da Secretaria de Agricultura e Pecuária, responsável pela seleção das primeiras matrizes e reprodutores.

Em breve Rio Branco terá um abatedouro de ovelhas e carneiros para garantir a produção em larga escala da carne e derivados. Cabe ao governo proporcionar aos pequenos criadores as condições para que possam participar desse processo assegurando uma renda razoável para centenas de famílias. O animal atinge o peso ideal para abate - 15 quilos de carcaça ou 30 quilos de peso vivo - após oito a dez meses. Numa área de um hectare, cada produtor poderá hospedar de seis a oito ovelhas.

O primeiro lote, com 370 ovelhas “Santa Inês” e 30 carneiros “Dorper”, com idade entre oito e doze meses, já saiu da Bahia, devem chegar a Rio Branco até o fim de semana (Foto: Sérgio Vale)

  Quem adere ao programa deve seguir as orientações dos técnicos da Secretaria de Agropecuária, construir um aprisco - que pode ser suspenso ou de chão batido - e ter bom pasto, assumir a responsabilidade pelos cuidados dos animais e prestar assistência aos borregos depois de nascidos, entre outras exigências. Dois anos após receber as doze fêmeas e o macho, o produtor irá devolver ao governo a mesma quantidade recebida, permitindo que novas famílias possam ser atendidas.

Além do investimento inicial de R$ 2,5 milhões, o governo do Estado dará toda a assistência necessária, inclusive capacitando pessoal para o manejo seguro nas propriedades. A ovinocultura, somada a outras ações voltadas ao meio rural, ganhará destaque na gestão do governador Tião Viana ao longo dos meses e anos que virão como forma de tornar cada comunidade um polo produtivo e que, a partir daí, haja a devida distribuição de renda, tão essencial à dignidade de cada pessoa.  

Agência de Notícias do Acre

sexta-feira, 11 de março de 2011

Governador assina decreto que cria o Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento

Samuel Bryan  

Órgão que substitui o antigo Deas também será responsável pela pavimentação de novas ruas

Governador Tião Viana assinou nesta quinta-feira o decreto que criou o Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

O governador Tião Viana assinou nesta quinta-feira, 10, em seu gabinete, o decreto que criou o Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa). O novo órgão substitui o antigo Departamento Estadual de Água e Saneamento (Deas). Sob o comando de Gildo Rocha Pinto, seu diretor-presidente, o Depasa se torna responsável pela pavimentação de novas ruas, além do serviço de água e esgoto em todo o Estado.

O antigo Deas era responsável por cuidar da rede de abastecimento de água e esgoto em todos os municípios do Acre, exceto Rio Branco. Já a pavimentação de ruas era de execução do Deracre e das prefeituras dos municípios.

Para evitar o desencontro de informações, resultando na pavimentação de ruas antes da instalação do sistema de água e esgotos, o Depasa agora tem a responsabilidade de cuidar desses dois âmbitos - a organização do sistema de saneamento e a pavimentação das novas ruas com tijolos.

A medida vai evitar desperdício do dinheiro público, resultado de pavimentações de ruas que em seguida tiveram que ser reabertas para a instalação do sistema de água e esgoto. Gildo Pinto conta que a iniciativa de juntar o departamento de água e esgosto com o de pavimentação surgiu durante o governo Lula e o modelo agora é seguido pelo governador Tião Viana, trazendo muito mais vantagens para a administração pública.

Agência de Notícias do Acre

quinta-feira, 10 de março de 2011

Carnaval 2011 foi um dos mais tranquilos dos últimos anos

Tião Vitor  

O cidadão acreano atendeu aos apelos das autoridades e fez do carnaval uma celebração à vida
Trabalho da segurança pública foi adaptado com êxito ao novo formato do carnaval (Foto: Dharcules Pinheiro)



O que já era possível de perceber durante as quatro noites de folia realizadas na Avenida Amadeo Barbosa foi comprovado através de números oficiais: o carnaval 2011 foi um dos mais tranquilos dos últimos anos. Os índices foram apresentados pela equipe de segurança pública do Governo do Estado na tarde desta quarta-feira, 9, durante entrevista coletiva realizada no Comando-Geral da Polícia Militar.

Os números registrados revelam uma redução sensível das ocorrências em relação aos dois últimos anos. Em 2009 foram registradas 293. Ano passado, o número de ocorrências foi de 220. Já neste carnaval, o total foi de apenas 146 registros. “Temos que levar em conta que esses dados refletem, também, o número de ocorrências registradas no entorno da Avenida Amadeo Barbosa, diferente do que ocorria nos anos anteriores onde se registrava apenas o ocorrido no lugar do carnaval”, disse o comandante da Polícia Militar, coronel José dos Reis Anastácio. “Outro fator que devemos levar em consideração é que as noites de carnaval se estenderam até  às 3 horas da madrugada”, completou.

No interior do estado, foi registrado um total de 244 ocorrências. A cidade com maior número foi Feijó, que teve um total de 75. Santa Rosa, Manoel Urbano e Porto Valter tiveram apenas três ocorrências registradas.

No trânsito não foi diferente. A diretora do Detran, Sawana Carvalho disse que apenas um acidente com vítima fatal foi registrado na BR-317, na cidade de Capixaba. Os motivos do acidente devem ser investigados pela Polícia Rodoviária Federal, haja vista que aquela rodovia está sob a jurisdição daquela força policial. “Além deste, tivemos apenas três casos em que os motoristas tiveram que ser encaminhados ao pronto-socorro pelo Samu. Mas os ferimentos foram de menor gravidade”, contou. Sawana credita a tranquilidade no trânsito ao trabalho feito pelas polícias e aos apelos feitos pelas autoridades para que as pessoas buscassem se divertir e respeitar a vida, não dirigindo sob o efeito de álcool. “A presença das autoridades de trânsito, bem como a conscientização do condutor acreano contribuiu muito para o sucesso que obtivemos durante o carnaval”, completou.

Carnaval para os policiais

O coronel José dos Reis Anastácio elogiou a atuação das forças de segurança que trabalharam durante todo o carnaval. Ele disse que a tranquilidade registrada nas quatro noites de evento só foi possível graças à atuação dos abnegados homens e mulheres que trabalharam durante as noites de evento.

Como forma de reconhecimento e recompensa pelo trabalho eficaz, a Polícia Militar e o Governo do Estado devem promover uma festa exclusiva para essas pessoas. O evento está programado para a sexta-feira, 11.

"Essas pessoas se doaram incansavelmente para que o resultado desse carnaval fosse o melhor possível. Por isso estamos reconhecendo de publico o excelente trabalho que esse policiais desenvolveram nesses dias", afirmou.
Confira abaixo os números de ocorrências registradas em todo o Estado durante o carnaval:


REGISTROS DO INTERIOR
 
MUNICIPIO                            QTD
CRUZEIRO DO SUL                 64
RODRIGUES ALVES                16
MAL. THAUMATURGO              4
PORTO VALTER                          3
TARAUACA                                24
FEIJO                                          75
SENA MADUREIRA                   30
MANOEL URBANO                      3
SANTA ROSA DO PURUS            3
PORTO ACRE                              12
SENADOR GUIOMARD              22
PLACIDO DE CASTRO                 4
ASSIS BRASIL                              12
BRASILEIA                                   11
XAPURI                                         15


TOTAL                                        244

terça-feira, 8 de março de 2011

PARABÉNS MULHER

A alegria como carro chefe

Tatiana Campos  

Governador participa da primeira noite de carnaval na Amadeo Barbosa

Valorizar a vida e colocar a alegria como carro-chefe não só do carnaval, mas do dia-a-dia, das ações cotidianas. Essa é a mensagem do governador Tião Viana na primeira noite de festa popular, que este ano está  repleta de novidades.

A avenida Amadeo Barbosa, entregue pelo ex-governador Binho Marques no último mês de sua gestão, virou palco do carnaval e passagem para um trio elétrico – uma das novidades do carnaval 2011. O trio faz o circuito 14 Bis/Arena da Floresta e puxa milhares de foliões. A primeira banda a se apresentar é a Kalango LoKo, comandada por Álamo Kário.

“Quero que a gente possa valorizar a vida nesse carnaval, que a gente ponha a alegria para dentro dos nossos corações como um carro-chefe. A gente tem que viver a vida pelo lado bom e o carnaval é essa festa bonita, um momento de festejar, brincar, rever os amigos. Que todos possam curtir essa festa”, disse Tião Viana.

O governador chegou ao carnaval por volta das 21h com toda a família. Deixou o camarote para uma entrevista nos estúdios da TV Aldeia e no caminho pulou com os foliões e fez muitas fotos entre os brincantes. A festa na Amadeo Barbosa segue até as 03h da madrugada.


Governador Tião Viana e família participam do carnaval da avenida Amadeo Barbosa (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Agência de Notícias do Acre

quinta-feira, 3 de março de 2011

Recursos para insumos da BR-364 já estão na conta do Estado

Tatiana Campos  

Compra antecipada vai garantir maior agilidade nas obras com o início do verão

Em Rio Branco, capital do Acre, o quilo do tomate custa R$ 1,4 em média. Em Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade acreana, esse valor oscila entre R$ 8 e R$ 10. A distância entre os dois municípios não é tão grande. O problema é  o acesso, feito por via terrestre apenas nos meses do verão amazônico, que faz disparar os preços por conta da dificuldade no abastecimento. Com a BR-364 concluída, o transporte de mercadorias e o trânsito de pessoas serão garantidos pelo tão sonhado asfalto.

Esse é apenas um exemplo de como a estrada vai garantir qualidade de vida para as pessoas que moram ao longo da BR ou nos municípios que ela liga. E para cumprir o compromisso assumido pela Frente Popular, que teve início no governo de Jorge Viana e se estendeu na gestão de Binho Marques, o governador Tião Viana já garantiu a liberação dos recursos para a aquisição dos insumos necessários para a continuidade das obras na estrada.

Essa antecipação, conseguida graças ao esforço de Tião Viana junto ao governo federal e à presidente Dilma Rousseff, vai garantir que todo material necessário possa ser comprado e transportado por meio fluvial ainda no inverno - aproveitando as cheias dos rios - e que no início do verão todos os insumos estejam à disposição dos trabalhadores. Boa parte dos insumos vem através dos rios Madeira, Negro e Juruá. O seixo, uma das matérias-primas utilizadas na obra, vem da fronteira com a Colombia, a 3.409 quilômetros fluviais e 35 dias para percorrer o caminho. Foram transportados 40 mil metros cúbicos do insumo de 2009 para cá.

Chuvas dificultam o trabalho

Hoje apenas faltam apenas 85 quilômetros para que os acreanos vejam asfaltada a última fronteira rodoviária do Brasil e festejem a realização de um grande sonho. Para milhares de pessoas que moram ao longo da estrada e têm na pele as marcas sofridas impostas pelo isolamento, a estrada significa muito mais que progresso e se traduz em qualidade de vida, acesso a direitos básicos, inclusive, o de ir e vir. A conclusão da rodovia vai impactar 80% da população do Acre, de Acrelândia a Cruzeiro do Sul.

Os recursos para a conclusão da BR-364 e todas as pontes necessárias foram garantidos pelo presidente Lula. Mas garantir os recursos na conta não era garantia suficiente para que as centenas de máquinas e os milhares de trabalhadores empenhados na obra pudessem trabalhar.

Praticamente todo material necessário na obra enfreta uma grande jornada para chegar ao canteiro (Foto: Arquivo/Secom)


Contra a obra existe um fator que o homem não pode mudar: o inverno rigoroso da Amazônia e as chuvas que impendem o andamento das obras em pelo menos 200 dias por ano. Um exemplo é o que ocorreu em 2009, quando haviam recursos disponíveis, insumos comprados, máquinas nos trechos e homens dispostos a trabalhar para cumprir uma programação de quatro meses. As chuvas só permitiram trabalhar pouco mais de 60 dias durante todo o ano.

Para garantir o funcionamento de mais de mil máquinas que estarão nos trechos em obras serão comprados 2 milhões de litros de óleo diesel.
 
Segundo o diretor do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre), Marcus Alexandre, as obras na BR devem começar em maio, com o início do período de estiagem. Mesmo com o inverno as obras das pontes ao longo da estrada não pararam em nenhum momento.

“Todos os procedimentos necessários estão sendo feitos pelo governo do Estado para garantir a conclusão da BR. O governador Tião foi duas vezes a Brasília tratar da liberação dos recursos. Todos os esforços possíveis estão sendo feitos para que as obras sejam retomadas no inicio do verão, mas o resultado final depende do comportamento das chuvas. O que podemos garantir é que todas as pontes estarão concluídas ao final do verão”, informou o diretor do Deracre.

terça-feira, 1 de março de 2011

Governo do Acre vai distribuir ovelhas para reforçar a renda de pequenos criadores

O governo do Acre abriu edital para a aquisição de 7 mil e 400 matrizes de Ovelhas da raça Santa Inês. Esses animais farão parte do programa de fomento à ovinocultura e serão divididas entre pequenos criadores, como forma de reforçar seus orçamentos.

Sobre o edital publicado no Diário Oficial, o ex-deputado Luiz Calixto disse em seu blog “que o preço individual por animal, revela que a espécie não é lá essas coisas”, o que não é verdade. A raça Santa Inês foi a que melhor se adaptou ao clima da região e a rentabilidade dos criadores supera até os ganhos com a pecuária.

No Acre o empresário Alberto Moreto [Beto do Café Contri] resolveu apostar no segmento de caprinos e ovinos. No Quilometro 8 da estrada de Porto Acre, ele ergueu um frigorífico para atender os criadores de Rio Branco. A princípio serão abatidos 30 animais por dia.

Roberto Vaz, da redação de ac24horas
Rio Branco, Acre

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Produtores abraçam programa de piscicultura do Acre

"A ideia é que uma cooperativa administre o negócio, através de uma parceria público, privada, comunitária", afirmou Tião Viana (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Escrito por Tatiana Campos  

Governo do Estado reúne produtores para discutir cadeia produtiva. Atividade pode movimentar R$ 350 milhões por ano
 
Mais rentável e com giro de lucro mais rápido que o gado, sem pressionar o meio ambiente com desmates, agrotóxicos ou queimas, ao contrário, preservando-o e aproveitando a condição de ter clima, água e solo favorável para atividade. A piscicultura, aposta do Governo Tião Viana para desenvolver a economia e o setor produtivo no Acre, é uma atividade que, depois de implantada e com o todo o sistema funcionando, pode gerar uma movimentação financeira de R$ 350 milhões por ano.

Na manhã deste sábado, o Governo se reuniu com piscicultores e diretores do Projeto Pacu, que presta consultoria no Acre para a implantação do programa de piscicultura. Para construção de um complexo industrial do peixe, com centro de alevinagem, fábrica de ração e frigorífico é necessário um investimento de R$ 40 milhões. "O governo já tem R$ 20 milhões na mão e está convidando o setor produtivo a investir mais R$ 20 milhões. O governo é um indutor desse processo, protegendo os pequenos e abrindo portas para os grandes. Mas não queremos administrar esse empreendimento, a ideia é que uma cooperativa administre o negócio, através de uma parceria público, privada, comunitária", explicou Tião Viana.

O vice-governador César Messias ressaltou o momento que o Acre vive: "Estamos com 60 dias de governo. A vontade e determinação do Tião de que realmente o Acre produza está fazendo com que coisas que eram pra acontecer apenas no ano que vem aconteçam agora".

Para o diretor geral do Projeto Pacu, Jaime Brum, a piscicultura não é apenas um bom negócio, mas um negócio extramente viável para o Acre, que pode se tornar o maior produtor de peixes amazônicos através das tecnologias de ponta que está trazendo para o complexo industrial. A fábrica de ração, um investimento de R$ 15 milhões será a mais moderna do país e capaz de produzir a ração para o pirarucu, que nenhum estado do país produz.

"Com essa ajuda que o governo do Estado está dando para a piscicultura o Acre vai ser um estado de ponta na produção de peixes. A fábrica de ração está projetada para ser a melhor do Brasil e tudo está preparado para a exportação. Há mercado interno e externo para o peixe da Amazônia", disse Jaime. O complexo industrial vai garantir uma produção de 40 mil toneladas/ano.

Peixe na merenda escolar

O governo do estado não vai apenas incentivar a criação, mas também dar apoio para compra da produção. O governador Tião Viana se comprometeu em colocar o peixe no cardápio escolar pelo menos uma vez por semana. O prefeito da capital também deve viabilizar essa parceria para dar apoio aos produtores.

"Essa ação ajuda o mercado, a produção familiar e garante a segurança alimentar das crianças. O peixe é um alimento muito rico em proteína", afirmou o governador.
"Não tenho dúvida que a piscicultura é viável", dizem produtores

O Banco da Amazônia já tem prospectado para investir neste ano, apenas na área da piscicultura, R$ 60 milhões através do FNO. "Estamos falando de um investimento que passa fácil de R$ 120 milhões em dois anos para o Acre", disse Tião.

O piscicultor José Augusto acredita no potencial do peixe e vai investir no setor. "Não tenho dúvida alguma de que o peixe seja um negócio rentável e adequado pro Acre, que é um estado amazônico com clima, solo e água favorável. Espero que nenhum produtor tenha receio em apostar neste negócio".

José Augusto entregou ao governador Tião Viana um projeto para plantar 500 hectares de açaizeiros, sem abrir mão dos açudes. "Temos condições de sermos o melhor produtor de açaí do país e essa será uma das grandes fontes de renda do nosso estado pela capacidade de produção do fruto".


Exportação - A aposta do governo na piscicultura tem exemplos práticos de como essa atividade é rentável e pode gerar lucro para os produtores acreanos. É o caso de José Ivan, produtor do Ramal Panorama. Ele investe na piscicultura há mais de 20 anos e conta que já chegou a exportar pirarucu vivo para a cidade de Mococa, em São Paulo. "Fico feliz com esse incentivo do governo para a atividade de piscicultura. Os produtores devem apostar nesse projeto. Trata-se de uma atividade altamente rentável e ecologicamente viável, pois para criar peixe é preciso manter a floresta em pé", ressalta. 


Agência de Notícias 

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Convênio entre Seaprof e ONGs destina mais de R$ 1 milhão para as ZAPs

Escrito por Samuel Bryan  

Mais de 1.200 famílias serão beneficiadas na produção agroflorestal


Secretário Dorival Marques assina convênio entre Seaprof e ONGs (Foto: Angela Peres/Secom)


O Governo do Acre, através da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), celebrou na tarde dessa quarta-feira, 23, na sede da instituição, a assinatura de três convênios com as ONGs, Pesacre, CTA e S.O.S. Amazônia para a prestação de assistência técnica e extensão agroflorestal a 1.291 família rurais nas regionais do alto Acre, Juruá e Baixo Acre. As atividades serão realizadas sobre ações sustentáveis e devem incrementar um aumento de 30% anual nas famílias beneficiadas.

As comunidades beneficiadas fazem parte das Zonas de Atendimento Prioritário (ZAP) nos municípios de Acrelândia, Assis Brasil, Brasiléia, Bujari, Capixaba, Epitaciolândia, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Rodrigo Alves e Xapuri. O investimento é de R$ 1.228.980, que devem ser administrados no período de 12 meses, com recursos oriundos do Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Acre (ProAcre), que desde o governo passado tem lutado para construir uma rede de assistência técnica descentralizada.

“O governo do Acre sozinho não tem capacidade para atender todo o estado, assim, com a entrada das três ONGs, seremos capazes de aumentar ainda mais nossas ações no Alto Acre, Juruá e Baixo Acre”, conta Dorival Marques, Secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar.

Através dos convênios assinados pela intermediação da Seaprof, cada ONG se torna responsável por uma das regiões do estado. O Centro de Trabalhadores da Amazônia (CTA) administrará recursos no valor de R$ 424 mil, a S.O.S. Amazônia no valor de R$ 217 mil, e o Grupo de Pesquisa e Extensão em Sistemas Agroflorestais do Acre (Pesacre) R$ 587 mil.

“Esse momento consagra um processo de conversa do governo com as ONGs exatamente para chegarmos a isso, a assistência técnica e extensão agroflorestal às famílias produtoras”, reforça Eduardo Amaral, o Cazuza, da Pesacre. O convênio objetiva proposta de uma nova base produtiva para a área rural do estado sobre três pontos: a segurança alimentar e nutricional, a transição para uma produção de base ecológica e a implantação do programa de certificação da propriedade rural.

Antes a luta pela melhoria da vida dessas famílias estava sobre responsabilidade apenas do governo do estado, agora as ONG’s passam a fazer parte desse importante projeto para o Acre e acompanham as políticas públicas. As comunidades ainda possuem problemas a serem superados e essa proposta se torna um importante passo para a melhoria da cadeia produtiva rural e valorização do setor agroflorestal para quem mais precisa.
Agência de Notícias

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Produtor colhe 1,5 mil tonelada de milho graças à mecanização

Escrito por Tatiana Campos  

Cultura do grão é promissora e Acre se esforça para alcançar a produção necessária para o mercado



A demanda interna por milho é crescente no Estado, incentivada pela política de governo voltada para o setor produtivo (Foto: Sérgio Vale/Secom)
A safra do milho começa a ser colhida no Acre e os números são promissores. Na Fazenda Mariana, na BR-364, a maior produtora do grão no Estado, serão colhidas seis toneladas por hectare, bem acima da média de quatro toneladas atingida normalmente. A aplicação de pesquisas para selecionar as melhores sementes para região e a chuva que caiu na hora certa para o plantio resultaram numa safra que vai colher 120 sacos por hectare.

A Embrapa foi consultada para chegar a uma variedade de milho adequada para a região. “Mas a melhor pesquisa é aquela ano a ano, testando sementes e vendo qual a melhor adaptada ao este solo. Plantamos hoje a variedade 40-60 da Agroceres. A produção de grãos no Acre é totalmente viável, principalmente com a expansão do mercado mundial, que é globalizado e dita o preço dos commodities”, disse o produtor Raiolando Costa.

No Acre seriam necessários pelo menos vinte mil hectares plantados com milho para atender a demanda interna. A Fazenda Mariana garante sete mil hectares por safra, mas os pequenos produtores também têm vez. Só em Plácido de Castro 194 agricultores se dedicam ao cultivo do grão.  Costa produz 1,5 mil toneladas por ano. Em sua propriedade são plantadas 300 hectares de milho e 70 de soja para oxigenar o solo. Toda a produção de soja e parte da de milho são vendidas para o mercado de Rondônia.

“A cultura do milho é uma que a gente domina, sabe quais as melhores variedades, melhor época para plantar. Não há duvida de que é possível intesificar para chegar a milhares de hectares plantados. Nossa meta é chegarmos ao fim do ano com 10 mil hectares plantados através da mecanização”, explicou o secretário de Agropecuária, Mauro Ribeiro.
 
Através da intermediação do governo pela assistência técnica prestada aos produtores, o crédito do Mais Alimentos, uma linha de financiamento com juros diferenciados, permitiu a compra de mais de 200 tratores por pequenos produtores. “A capacidade de colheita e armazenagem, cuja qualidade se assemelha à de Mato Grosso e que o governo tem investido e se compromete a ampliar também, é um fator favorável à cultura do milho no Acre”, destaca Ribeiro.
A demanda interna por milho é crescente no Estado, incentivada pela política de governo voltada para o setor produtivo. De 2006 para cá foi entregue à agricultura familiar um milhão de pintos caipiras, que cresceram, se reproduziram e se alimentam de milho. O milho é utilizado como insumo em rações para diversos animais. Uma granja na região da BR-317 está se instalando, com obras em fase avançada. A demanda vai crescer ainda mais.

“Temos trabalhado muito com o pequeno produtor, implantamos o Ceasa para atendê-los. Mas aqui estamos vendo a força do empresário, que colhe 1,5 mil toneladas de milho por ano com alta produtividade. Depois que o Jorge  [Viana] e o Binho [Marques, ambos ex-governadores] dotaram o Estado de infraestrutura, chega o Tião [Viana] para estimular a agricultura no nosso Estado. Viemos aqui para incentivar esse tipo de atividade. Estaremos juntos, governo estadual, prefeitura de Rio Branco e governo federal, para incentivar a produção”, afirmou o prefeito Raimundo Angelim.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Produção agrícola é aposta do governador do Estado




Pág. 20
Tião Viana anuncia grandes investimentos para a agricultura familiar no Alto Acre

Qualidade de vida ao homem do campo, com políticas de atenção voltadas aos ramais e ao desenvolvimento de cadeias produtivas que, além de beneficiar o produtor, promovem o crescimento da economia e o fortalecimento de pequenos e grandes negócios. É do campo que vem boa parte da alimentação dos acreanos e é também do campo que virá uma parte cada vez maior do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado do Acre.
A Acreaves abate hoje 12 mil frangos por dia e movimenta R$ 30 milhões por ano. Dom Porquito, empreendimento da suinocultura lançado pelo governador Tião Viana durante a agenda no Alto Acre, promete movimentar R$ 38 milhões. A Nátex, fábrica de preservativos que utiliza látex de seringais nativos, envolve hoje 600 famílias e gera 160 empregos diretos. O manejo madeireiro garante milhões e milhões de reais através da exportação principalmente para o Reino Unido. Milhares de produtores estarão envolvidos na criação e exportação de peixes, um novo negócio no Acre.
Falar das políticas de produção é falar de um passo de gigante no desenvolvimento da economia acreana, que anda ao lado da melhoria da qualidade de vida para o pequeno produtor familiar, e do respeito irrestrito ao meio ambiente, um cuidado necessário a um Estado que tem quase 90% de cobertura vegetal. Por isso, os anúncios feitos por Tião Viana no Alto Acre relacionados à produção ocuparam boa parte da agenda governamental em Xapuri, Epitaciolândia, Brasileia e Assis Brasil. Tudo faz parte de uma grande engrenagem que passa desde o incentivo ao cooperativismo até o asfaltamento dos principais ramais que envolvem a produção familiar.
politica_200211_1.jpg
Indústria de suínos Dom Porquito foi visitada pela equipe de governo e, com os investimentos, atenderá os mercados interno e externo

Dom Porquito: indústria de suínos que vai movimentar R$ 38 milhões por ano

Tecnologia de ponta, envolvimento dos produtores familiares produção inicial de 250 toneladas de carne por mês com 500 matrizes e a movimentação de R$ 38 milhões por ano. Em poucas palavras, este é o projeto da Dom Porquito, indústria que teve sua pedra fundamental lançada pelo governador Tião Viana e promete ser mais uma cadeia produtiva de sucesso para gerar emprego, renda e desenvolvimento econômico com sustentabilidade ambiental.
O empreendimento será tocado por Cristiene e Paulo Santoyo e atenderá os mercados interno e externo. A Dom Porquito nasce para ser o maior criatório de suínos do Acre. “Temos condições e clima adequado e trouxemos a mais avançada tecnologia que há no país”, disse o proprietário. Orides Rigamonte tem uma área de 150 hectares e produz, por ano, de forma familiar 140 mil quilos de carne de frango, 20 mil de peixes, 10 mil quilos de carne bovina e 30 mil litros de leite. Agora, ele também vai investir na criação de suínos. “É mais uma atividade para complementar a renda  que a gente tem.”
O governador Tião Viana destacou uma das vantagens da indústria: “Essa é mais uma alternativa de renda para os produtores que se encaixa perfeitamente na nossa política ambiental porque tira a pressão sobre o desmatamento e a queima, duas culturas do nosso estado”.
politica_200211_2.jpg
TODA a castanha produzida no Acre sairá do Estado beneficiada

Acre é o maior produtor de castanha do Brasil

Tião Viana iniciou a agenda da sexta-feira, 18, visitando a fábrica de castanha de Brasileia, gerenciada por trabalhadores através da Cooperacre e que será reinaugura em abril, após uma grande reforma e ampliação. Ao lado da fábrica de Xapuri e da nova unidade que será construída também em Brasileia - com a mais avançada tecnologia do Brasil , toda a castanha produzida no Acre sairá do Estado beneficiada.
Com a reforma, a fábrica de beneficiamento de castanha passa a ter capacidade para cinco mil quilos por dia, operando em dois turnos. Sozinha, ela gera 200 empregos diretos e atinge duas mil famílias de extrativistas. Hoje o Acre já é o maior produtor de castanha do Brasil, ressaltou o governador Tião Viana. “E é uma atividade que gera emprego e renda tanto na cidade quanto para as populações tradicionais da floresta. A castanha do Acre é vendida para grandes empresas como a Nestlé e a Nutrimental.”

Produtores ganham centro de reflorestamento e divulgação ambiental

Todas as mudas produzidas no Centro de Reflorestamento e Divulgação Ambiental do Projeto de Assentamento Porto Rico serão entregues gratuitamente aos produtores. A unidade foi reformada pelo Governo do Estado e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e entregue à Prefeitura de Brasiléia, conta com telecentro digital, salas de treinamento e biblioteca. Boa parte das mudas de espécies florestais será produzida pelos reeducandos que cumprem pena nos presídios do estado.
O presidente do Incra no Acre Neto Thaumaturgo também assinou um convênio com a prefeitura garantindo R$ 1 milhão para assistência técnica aos produtores dos projetos de assentamento.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Marechal Thaumaturgo recebe dez toneladas de sementes de feijão

Governador Tião Viana e secretários de Estado visitaram o município e anunciaram investimentos

As mãos calejadas do produtor João Eugênio, 59, da Foz do Bagé de Baixo, em Marechal Thaumaturgo, revelam a lida diária nos roçados de milho, macaxeira e banana. Ex-seringueiro, ele abandonou o corte da seringa e virou agricultor. Agora vai investir nas plantações de feijão de olho nos bons ventos que prometem soprar no município, com o desenvolvimento da cadeia produtiva.

MARECHAL Thaumaturgo será o “município do feijão” no Acre. O grão já vai sair beneficiado, pronto para ocupar as prateleiras dos supermercados

Marechal Thaumaturgo vai ser o “município do feijão” no Acre - e o grão já vai sair beneficiado, pronto para ocupar espaço nas prateleiras dos supermercados e mesas dos restaurantes, graças ao trabalho conjunto entre produtores, cooperativa e governo do Estado.

Nesta segunda-feira Tião Viana voltou a Marechal Thaumaturgo acompanhado dos secretários de Indústria e Comércio, Edvaldo Magalhães, de Produção Familiar, Lourival Marques, de Pequenos Negócios, José Carlos Reis,  do comandante da PM, coronel José Anastácio, e do vice-governador César Messias.

Além de entregar dez toneladas de sementes de feijão para a produção agrícola, o governo também anunciou para março a chegada de cinco mil pintos para a criação de frango caipira e a construção das 25 estufas de hortaliça para garantir a produção de verduras e legumes. “Queremos desenvolver a economia de cada município e dar oportunidade para que as famílias tenham acesso a geração de emprego e renda, por isso nossa política de investir em pequenos negócios, em cadeias produtivas como a do peixe e a do feijão. Com a produção de feijão, aliada às outras culturas que já existem em cada propriedade, a meta é que cada família chegue a uma renda mensal de R$ 1 mil nesse início e que possa aumentar esse valor em seguida”, explicou o governador.

O vice-governador César Messias deixou clara a intenção do governo Tião Viana: trabalhar em parceria, de mãos dadas, para ajudar a comunidade. “Daqui a 90 dias, Marechal Thaumaturgo já terá sua primeira indústria”, anunciou.

O prefeito da cidade, Randison Almeida, agradeceu os investimentos do governo do Estado: “Em 45 dias de governo, o governador já veio apresentar suas propostas e agora vem cumprir o que prometeu. Espero que ele venha sempre no nosso município - num mês prometer e no outro cumprir”, brincou.

 Dez toneladas de sementes de feijão
Para garantir a produção de feijão em Marechal Thaumaturgo, o governo entregou dez toneladas de sementes de feijão das variedades quarentão, manteiguinha, peruano e mutubim. As sementes beneficiaram 350 famílias nas comunidades Belfort, Amônia, Foz do Bagé de Baixo, Foz do Breu, Restauração e Triunfo. A entrega das sementes é uma ação da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), e, segundo o secretário Lourival Marques, a assistência técnica está garantida a todas as famílias beneficiadas pelas sementes. O município ainda não é o maior produtor de feijão por falta de estrutura, mas já produz a maior variedade de tipos. São 14 ao todo.
Cooperativa recebe R$ 254 em equipamentos para beneficiar o feijão

Um dos pedidos do governador Tião Viana para a população é que se organize em associações e cooperativas para que todos possam ser ajudadas. Foi o que fez um grupo de produtores familiares ao criar a Cooperativa dos Sonhos de Todos (Coopersonhos). É essa organização que vai beneficiar todo o feijão produzido no município.

Sementes de feijão beneficiarão 350 famílias em diversas comunidades espalhadas pela cidade

A Coopersonhos recebeu um investimento de R$ 254 mil em maquinário necessário para o beneficiamento do feijão, incluindo trilhadeira, empacotadeira, motores e equipamento de informática. “Nós acreditamos que será feito um excelente trabalho aqui no município e que o feijão vai garantir uma renda a mais para todo mundo. Esse é o nosso sonho se tornando realidade. A gente vai ver o feijão produzido sair daqui empacotado, com o nosso nome, e vamos ter uma vida melhor. É isso que queremos: condições de trabalhar”, disse o presidente da cooperativa, Antônio Macena.
Banco da Amazônia entrega crédito para 65 produtores

Além da assistência técnica e do trabalho integrado para garantir o desenvolvimento e consolidação de cadeias produtivas - como aconteceu com o frango no Alto Acre e está acontecendo com o feijão e o peixe, por exemplo -, o governo também se esforça para garantir que o produtor familiar tenha acesso às políticas de crédito do governo federal.

O intermédio da Seaprof garantiu que 65 produtores familiares conseguissem acessar o Pronaf B, uma linha de crédito disponibilizada pelo Banco da Amazônia que não prevê lucros. É uma política de microcrédito voltada para as famílias de baixa renda da zona rural. “Cada produtor está recebendo R$ 2 mil e vai pagar R$ 1,5 mil após o prazo de carência. Assim que ele termina de pagar já está automaticamente credenciado para acessar novamente o recurso”, explicou o superintendente do banco em exercício, José Cordeiro Neto.

Agência de Notícias do Acre

domingo, 9 de janeiro de 2011

Novas medidas de segurança são adotadas após fugas do complexo penitenciário

Escrito por Samuel Bryan  

Secretário de Segurança Pública, Ildor Graebner, anunciou reforço do policiamento e processos administrativos

Mais policiais militares vão reforçar o policiamento no complexo penitenciário (Foto: Gleilson Miranda/Secom)


O secretário de Segurança, Ildor Graebner, anunciou no fim da manhã desta sexta-feira, 7, medidas imediatas, a pedido do governador Tião Viana, contra as fugas de reeducandos do Complexo Penitenciário Francisco de Oliveira Conde. Dos 10 presos que fugiram do complexo, além de mais dois que haviam se evadido da unidade de saúde, seis já foram recapturados.

Entre as iniciativas, está o reforço do policiamento no complexo penitenciário, com a participação de mais policiais militares. Também foram instaurados processos administrativos e criminais para apurar as fugas ocorridas nos últimos dias. “Essa é uma decisão complementar para mostrar com transparência as ações que o governo Tião Viana está tomando para conter e investigar essas fugas”, contou o secretário.

O Ministério Público Estadual também acompanha esses processos. Com o reforço no número de policiais militares, a Secretaria de Obras e Infraestrutura estuda reformas que podem ser feitas nas guaritas do presídio. Isso garante que os PMs possam se instalar de forma definitiva e ajudar no trabalho dos agentes penitenciários.

A última fuga aconteceu na manhã de hoje. O detento Adilson Tiengo Ferrari, preso por tráfico de drogas, trabalhava na cozinha do presídio e se apresentou às 5 horas da manhã. Uma hora depois já não foi mais localizado. A população também pode contribuir para a prisão dos foragidos através de denúncias que podem ser feitas de forma anônima pelo telefone 190.
Durante o anúncio dessas medidas, o secretário falou ainda sobre o encontro do governador Tião Viana com o ministro da Justiça. No encontro foram tratadas questões de combate ao narcotráfico no Acre e a liberação de um novo delegado da Polícia Federal para atuar no Estado. 
Agência de Notícias

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

2010 FOI BOM, MAS 2011 VAI SER MELHOR AINDA

Bom para a Educação e principalmente para aquele que anda de mãos dadas com ela, o esporte.


Realizamos vários campeonatos de futebol de campo, no Acuraua, Gregório e Socó dentre outros.

Os últimos campeonatos foram no Lago novo e no Gregório (fotos) para fechar com chave de ouro. 
O Lago novo foi o Campeão derrotando o Grêmio pelo placar apertado de 5x4.

LAGO NOVO


 

 


 
 
































































 






























 




























GREGÓRIO 

No ARRUDÃO Campo da comunidade do Gregório fizemos outro torneio organizado pelo professor do Ensino Médio o Sr. Railton do Asas da Florestania, tendo eu patrocinado toda a premiação, como medalhas e troféus.


  






Neste torneio tivemos como finalistas o Asas da Florestania do Ensino médio contra o Maracanã que empataram no tempo normal em 5x5, tendo então na disputa de pênaltis se sagrado campeão o time do Maracanã, pelo placar de 5x3. 








GOVERNO SE REÚNE COM PEDIATRAS

Escrito por Tatiana Campos  

Tião Viana quer valorizar categoria e ampliar o serviço de pediatria disponível no Estado

Encontro deve otimizar a hora médica e ampliar os serviços. Governador Tião Viana informou aos pediatras a abertura de novas vagas. (Foto: Sérgio Vale/Secom)




Valorizar a pediatria e melhorar o atendimento desse serviço à população. Esse foi o tom da conversa entre o governador Tião Viana e os pediatras do Estado. O objetivo é otimizar a hora médica para ampliar o serviço, segundo a secretária de Saúde, Suely Melo.

“Estou aqui para estender a mão e quero a mão estendida em retribuição. Queremos discutir como valorizar a pediatria, como ampliar o serviço para a população e como aproximar os pediatras da secretária de Saúde. Estamos aqui para ajudar e para sermos ajudados”, disse o governador Tião Viana.

Segundo a secretária de Saúde, a conversa faz parte desse novo momento pelo qual passa a Saúde no Estado e a pediatria é uma das categorias profissionais da área com a qual o governador vai se reunir. “Não temos tantos pediatras no Estado - são 62 médicos com essa especialização, e precisamos ajustar o cobertor. Estamos buscando a melhor forma para fazer isso e pedindo a compreensão e a colaboração dos pediatras”, disse Suely Melo.

Para o secretário adjunto de Saúde, Amsterdam Sandres Sobrinho, a organização é fundamental para esse desenho que está se formando agora. É preciso organizar o pessoal e a rede para esse novo momento do sistema de saúde”, disse.

Uma das preocupações do governador Tião Viana é não tomar decisões em desacordo com a categoria. Durante a conversa, ficou acordado que o Estado vai abrir vagas de residência e especialização em pediatria, o que vai resolver, por exemplo, o problema da escala de pediatria no Pronto-Socorro de Rio Branco. 
Agência de Notícias