quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Feliz Ano Novo!



Os fogos anunciam a chegada de um ano novo !
É hora de refazer seus sonhos ainda não realizados
e acreditar que irá concretizá-los.
Soltar um olhar solidário e acalantador para os seus amigos e bocejar para os inimigos.
Aprender com os erros do ano já ido e brindar o ano bem vindo com um sorriso.
Correr ao encontro daquele amor ainda não perdido
ou surpreender mais uma vez o amor já conquistado.
Desejo a você um ano repleto de luz, amor, saúde e prosperidade.
Feliz Ano Novo!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Ponte da Liberdade: Governo interliga definitivamente os vales do Acre e Purus

Edmilson Ferreira

Com lideranças de M. Urbano e Sena Madureira, Governador Binho Marques atravessa a ponte que liga o Vale do Purus ao Vale do Acre. (Foto: Gleilson Miranda/Secom)


Com a presença de lideranças de Manoel Urbano, Sena Madureira e Rio Branco, Binho Marques batizou a ponte do Rio Purus com o nome de Liberdade em homenagem ao fim do isolamento.

Manoel Urbano já não sofre mais com o isolamento rodoviário durante o inverno. Quarenta anos depois de seu início, a BR 364 agora oferece amplas condições de tráfego de Rio Branco a Sena Madureira e dali a Manoel Urbano. Os usuários podem utilizar a ponte sobre o rio Purus, que fica a 14 quilômetros do centro de Manoel Urbano, que está em fase de conclusão. Com 477 metros de comprimento, a ponte é atualmente a maior do Acre. Quando a do rio Purus for inaugurada, será a segunda em extensão.

O governador Binho Marques a batizou de Ponte da Liberdade, uma alusão a um dos discursos que fez há quatro anos, na assinatura da ordem de serviço para asfaltamento do trecho de Feijó a Sena Madureira, ato ocorrido em Cruzeiro do Sul. Binho falou que a rodovia poderia ser chamada de ´estrada da liberdade´ devido a sua importância na integração do Acre. A ponte sobre o Purus, no momento em que está liberada ao uso público e as excelentes condições do trecho de Sena Madureira até Manoel Urbano, faz uma via lúdica e ao mesmo tempo real de libertação.

A BR 364 e suas pontes que intercalam seu curso, é um sonho do que começou a ser realizado em 1971, quando a BR 29, depois chamada BR 364 começou a ser aberta pelos 5º e 7º Batalhões de Engenharia e Construção do Exército Brasileiro. As pontes não estavam previstas no projeto original e Binho Marques deu início a um processo de convencimento que, apesar da resistência dos técnicos nos Ministérios em Brasília, contou com o apoio decisivo do Presidente Lula. Amigo do Acre, Lula fez a seguinte observação sobre a necessidade de pontes de qualidade na BR 364: “Uma estrada sem pontes é como uma perna sem joelho”. Com Lula e o compromisso de Binho com a integração do Estado, perto de um bilhão de reais foram investidos na BR nos últimos quatro anos.

Binho visitou a ponte do Purus nesta quinta-feira, 23, liderando uma caravana de secretários de Estado, autoridades civis e miltares, deputados estaduais da atual e da próxima legislatura e também do senador recém-empossado, Aníbal Diniz. A visita marcou a ligação definitiva de Rio Branco-Sena Madureira e Manoel Urbano. Nos próximos 45 dias serão feitos os serviços remanescentes nesta ponte, conforme informou Marcos Alexandre, diretor do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem, Hidrovias e Infraestrutura Aeroportuária do Acre (Deracre), ao lembrar os desafios para tocar a obra: um barco afundado havia décadas impedia a implantação de uma pilastra e a cabeceira do rio na margem sentido Sena Madureira não oferecia condição de fazer aterro menor que 12 metros de altura, mas os engenheiros encontraram uma solução e o aterro é de 6,5 metros.

O governador Binho Marques estava especialmente feliz por ter percorrido em ônibus o trecho de Rio Branco à ponte do Purus, confirmando que a estrada realmente oferece todas as condições de tráfego, assim como a ponte, mesmo não estando completamente pronta, pode ser liberada para passagem de veículos. Binho falou da compreensão que hoje da BR 364 e o quanto ela é vital para o desenvolvimento do Acre: “Não existe mais contradição entre a obra da BR 364 e o nosso projeto de desenvolvimento sustentável”.

Integração cultural, econômica e social entre os vales do Acre, Iaco e Purus

Todos têm uma opinião acerca da interligação entre os vales do Acre, Iaco e Purus proporcionado pelo asfaltamento da BR 364 de Rio Branco a Manoel Urbano. Autoridades e antigos ou novos moradores da região do Purus e Iaco afirmam que as mudanças são grandes e que esperam impactos positivos com a rodovia. Até pouco tempo, Manoel Urbano só tinha acesso por avião durante o período de chuvas. Agora, os trechos que não estão asfaltados –e são só pouco mais de oito quilômetros –estão com toda a condição para dar tráfego o ano inteiro mesmo diante o mais rigoroso inverno.


BR 364: 16 lotes de obras em execução, divididos em três grandes frentes de serviço

Não fosse o rigor do inverno de 2009, a BR 364 seria entregue ao povo do Acre completamente asfaltada este ano. No entanto, ficam faltando cerca de 80 quilômetros para completar o trecho de tráfego o ano inteiro a partir de 2011. Saiba dos detalhes dessa que é uma das desafiadoras obras da engenharia moderna:

a) Construção de 224 kms de Sena Madureira a Feijó

b) Restauração de 89 kms no trecho Tarauacá ao KM 15,5 e Rio Liberdade – Rio Juruá

c) Construção de Pontes sobre os rios Purus (477 metros), Diabinho (80 m), Envira (300 m) e Juruá (550 m) e mais 21,5 de acessos (anéis viários em Cruzeiro do Sul, Feijó e Tarauacá) -3.000 trabalhadores envolvidos diretamente -1.450 máquinas e equipamentos mobilizados -R4 milhões de investimentos no Governo Binho Marques 

Trecho Sena Madureira-Manoel Urbano
Lote 1 (36,9 km): 100% de asfalto concluído - R,31 milhões

Lote 2 (33,4 km): 25km em TSD (tratamento superficial simples) e 8,4 km em sub-leito com imprimação – R,98 milhões

Lote 3 – Acesso a Manoel Urbano (14,7 km): 100% de TSD - R,23 milhões

Ponte sobre o Rio Purus
Valor: R,37 milhões

Extensão: 477 metros

Vão central: 100 metros

Largura: 12,8 metros

Volume de aço usado na obra: 1.591.312 quilos

Volume de concreto: 8.132,73 metros cúbicos

Fundação: 1.408,5 metros de estacas

Cimento: 65.000 sacas de 50 kg


O Rio Branco

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Tião Viana anuncia 1º escalão do governo

Antes de anunciar os secretários, Tião Viana apontou a política como a responsável pelas mudanças realizadas. Ele também criticou as últimas ações realizadas pelo Ministério Público Eleitoral de denunciar os candidatos eleitos.



“Não é no exercício de uma função administrativa, mas é na política que se promove o que é amplo que é o direito à qualidade de vida e das sociedades. Criminalizaram a política e sangraram a democracia deste país com o sentimento de condenação fácil. A equipe de transição cumpriu seu trabalho e cumpriu suas metas”, disse o governador eleito. Tião Viana afirmou ainda que toda a equipe de governo trabalhará com metas e avaliações dos resultados.

“Agora, o time está em campo. A gente planejou os desafios que deverão ser cumpridos ao longo dos quatro anos, e nos primeiros 120 dias o governo será reavaliado por ele mesmo, internamente, e ouvindo a comunidade a cada 120 dias, ou seja, três vezes por ano. Todos têm que ter metas, prazos e resultados”, afirmou o governador Tião Viana.

Jorge diz que a responsabilidade do 4° mandato é maior para FPA

O senador Jorge Viana (PT) foi o primeiro a se pronunciar durante o anúncio oficial da equipe de governo. Em clima de descontração, Jorge Viana brincou com o também senador Aníbal Diniz, dizendo que a reunião teria começado atrasada porque o amigo havia “perdido a hora” depois de uma festa.

O ex-governador prosseguiu seu discurso destacando que este sábado é um dia muito especial para o Acre, para o povo e para a história política que a Frente Popular está construindo. “Nós atuamos e militamos na política, não por um arranjo ou por um tipo de compromisso que até pode ser aceitável para outras políticas. Nós atuamos por ideal. Quando recebemos um cargo, a gente recebe a oportunidade de ajudar a concretizar sonhos”, destacou.

Jorge Viana lembrou o crescimento e respeito adquirido pela Frente Popular ao longo de duas décadas. “A responsabilidade do quarto mandato é tão grande quanto a do primeiro. É maior que a do governador Binho, que quebrou o ciclo convencional do Brasil do mandato de oito anos com sua eleição em primeiro turno. O desafio agora é maior”, observou.

O senador destacou que o governo deverá fazer a opção pelos mais pobres, pelos que não tiveram oportunidade. “O Tião não abre mão de ser tão ou até mais rigoroso, quanto eu fui e o Binho tem sido. Os secretários têm que incorporar os princípios de ética e honestidade. Não tenho dúvida de que estou diante de pessoas competentes e dedicadas”, declarou.

Por fim, o senador concluiu, ressaltando que “Ninguém ganha liderados administrando, mas se trocarmos a palavra administrar por cuidar, acredito que muda completamente o sentido das coisas. O nosso povo não precisa de administradores, precisa de quem cuide de seus interesses”, concluiu.

César Messias garante ter disposição renovada

O vice-governador César Messias lembrou que Binho Marques não teve sentimento de egoísmo ao entregar o governo a Tião Viana. Também lembrou as investigações pelo qual Jorge Viana passou durante o período eleitoral. César Messias garantiu que está com novo ânimo para trabalhar nos próximos quatro anos.

“O meu entusiasmo é renovado. Assemelha-se ao de uma noiva”, afirmou o vice-governador. César desejou bom trabalho a todos os secretários e pediu que eles tenham determinação para que daqui a quatro anos tenha-se um Acre melhor do que o que está hoje.

Aníbal Diniz assegura que mudanças são importantes

O futuro senador Aníbal Diniz (PT) declarou que o projeto da Frente Popular ganhou vida nova com a eleição de Tião Viana. Ele destaca que o projeto mantém o “DNA inicial”, mas vai ganhar vitalidade, diferenciação com relação a alguns movimentos.

“Mudança no procedimento administrativo é algo fundamental para que todos permaneçam rendendo o seu melhor. Não podemos admitir o comodismo porque isso pode gerar a insatisfação da sociedade”, refletiu.

O senador ressaltou que os eleitos estavam ali “como frutos da democracia”, demonstrando o que ele nominou de vontade soberana do povo. “Temos que nos despir de qualquer vaidade para ajudar o governador Tião Viana a fazer um governo de sucesso. Não podemos admitir competição setorial, que um fique disputando holofotes com os outros. Temos que ter todas as atenções voltadas para garantir o sucesso do governo como um todo”, enfatizou.

Secretário de Segurança revela plano de ação

O próximo secretário de Segurança Pública, Ildor Reni Graebner, assegurou que o governo já elaborou um plano de ações que serão iniciadas a partir de 1° de janeiro. Contudo, Graebner revelou que este plano será anunciado pelo governador eleito Tião Viana em breve.

O secretário revelou que durante o período de transição foram levantados todos os problemas na área de Segurança Pública com objetivo de buscar recursos para fazer as adequações necessárias.

A segurança nas regiões de fronteira não será deixada de lado. Graebner adianta que o trabalho será intensificado para evitar aumento na criminalidade e tráfico de drogas. “Vamos fazer um trabalho de fiscalizações nas fronteiras logo no início do ano”, avisou.

O desafio de gestores

O novo secretário de Educação, Daniel Queiroz de Sant’Ana, afirmou que será um desafio grande suceder os últimos gestores da pasta, mas prometeu dar continuidade às ações já realizadas que teriam elevado a qualidade do ensino.

“A responsabilidade é enorme, principalmente diante dos avanços e das conquistas nos indicadores como Ideb e Saeb. A educação está acessível a todas as crianças e adolescentes em idade escolar.

Isso tudo são conquistas que precisam ser mantidas e ampliadas, uma missão que a gente assume com muita responsabilidade. Realmente não vai ser fácil suceder ao nosso governador Binho e professora Maria Correia. A montagem da equipe da educação será tomada em parceria com o governador nas próximas duas semanas”, detalhou o gestor.

A nova secretária de Saúde, Suely de Souza Melo, disse que o trabalho será voltado para a ampliação dos serviços de atendimento, além de instalar uma medição de qualidade das ações a serem implementadas.

“Quando a gente tem o respeito pelo ser humano, tudo fica mais fácil. Seguindo o ensinamento do ex-governador Jorge Viana, que temos que cuidar do Acre, então é um sentimento de valorização do trabalhador, o sentimento de valorização do usuário e a partir disso é ampliar o acesso, estabelecer um sistema de regulação em que as pessoas consigam fluir dentro do sistema de saúde. Não é uma tarefa muito simples, mas com amor, com garra e com um sentimento de unidade a gente vai conseguir dar uma condição melhor de saúde para a população”, falou Suely.

Escolhido para continuar no Departamento de Estradas e Rodagem do Acre (Deracre), Marcus Alexandre Médici Aguiar, declarou que espera terminar em 2011 o asfaltamento dos últimos 80 quilômetros da estrada para Cruzeiro do Sul. Ele ainda disse que nos próximos quatro anos os ramais também serão priorizados.

“Temos as condições para concluir a BR, faltam mais de 80 quilômetros. Agora, para chegar até lá tem um longo caminho e temos que aproveitar o inverno para mobilizar os insumos e aprovar os recursos junto ao governo federal, deixando os projetos em dia e fazendo tudo o que é preciso para que, na abertura de 2011, a gente possa estar trabalhando a pleno vapor.

Outras ações, como o programa estadual de ramais que vai ser discutida com o movimento social, com Incra e a prefeitura, um modelo que possa congregar ainda mais instituições e pessoas apoiando, mantendo a ação dos aeroportos e hidrovias dentro do plano de governo”, finalizou o diretor do Deracre.

Primeiro escalão do novo governo tem oito mulheres

O governador eleito, Tião Viana (PT), anunciou na manhã de ontem na filmoteca da Biblioteca Pública os nomes de 49 secretários, diretores e assessores que comporão o primeiro escalão da administração dos próximos quatro anos. Ele chegou às 9 horas, acompanhado da 1ª dama Marlucia Cândida, e do irmão, o senador eleito Jorge Viana.

O evento que contou com a participação de membros do governo atual e de deputados eleitos foi aberto por um discurso feito por Jorge Viana, seguido pelo suplente de senador, Aníbal Diniz, e pelo vice-governador César Messias. Tião Viana foi o último a falar e explicou a falta do atual governador, Binho Marques, que estaria indisposto. Nos próximos dias, a equipe do governador deverá anunciar a relação de outros três secretários e assessores do segundo escalão.
(Freud Antunes e Nayanne Santana) 
A Tribuna

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Binho entrega O Casarão revitalizado ao povo do Acre

Escrito por Edmilson Ferreira  
Construído na década de 1930, casa abrigou residência de governador de ex-território do Acre e foi espaço de atividades culturais e ponto de encontro de artistas e intelectuais

Espaço revitalizado guarda memória de movimento artístico-cultural de mais de uma década é entregue pelo governador Binho Marques. Obra é realizada com recursos federais, do BNDES e do Estado (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

O Governo do Estado reuniu artistas,  intelectuais e antigos frequentadores  na noite desta sexta-feira, 10, para a reinauguração de O Casarão, que por último  foi o  bar e restaurante que se tornou um marco na história recente de Rio Branco e, por extensão, do Acre, mas abrigou a também a residência da família do Coronel Fontenele de Castro,  ex-governador do Acre. A casa de Fontenele, agora  revitalizada, foi entregue à comunidade pelo governador Binho Marques  com uma festa que misturou emoção, nostalgia e confiança muito forte no futuro.  Ressalte-se nesse contexto a função social dos ambientes - um bar, no caso - como elemento agregador das pessoas. "A função social do Casarão está aqui: são vocês, sem os quais seríamos pessoas dispersas", disse o governador. 

A partir de agora, o Casarão é o mais novo espaço cultural da cidade de Rio Branco. No princípio, o espaço se constituiria em território da esquerda, mas acabou virando um caldeirão de correntes e idéias convergentes e divergentes - e todos saboreavam a vida dançando, comendo, bebendo, debatendo e promovendo a tolerância.  Além de democrático era, por essência, de vanguarda. O espaço serviu de local de trabalho para muita gente produzir literatura, poesia e peças de teatro, tornando-se palco de inúmeras campanhas, exposições, propagandas diversas, reuniões de grupos de trabalho e muito mais. O Governo do Estado investiu R$ 834.805,36, sendo que R$256.583,50 são recursos do Governo Federal, obtidos através de emenda parlamentar proposta pela deputada Perpétua Almeida; R$ 75.672,19 do BNDES e R$ 502.549,67 do Tesouro Estadual.

Há muito de história  e, por construção cultural, de acreanidade no prédio. Manoel Fontenele de Castro, primeiro morador do Casarão, comandou a Guarda Territorial e governou o Estado. Era um homem que, sobretudo, amava o Acre. De coração generoso, abriu a única  piscina da região  para uso quase público. Fontenele de Castro nasceu em 8 de junho de 1898, em Viçosa, no Ceará, sendo o terceiro homem de uma família de onze filhos do casal José Castro e Maria Fontenele de Castro.  Saiu do Ceará fugindo da seca e embarcou no navio a lenha que o levou no rio Envira, em Feijó, para ser seringueiro, aos vinte anos, em 1918. Em Rio Branco ingressou na Polícia Militar do Território Federal do Acre. Graduou-se a postos maiores na graduação da milícia territorial, até comandá-la. Sua atuação na área civil estendeu-se aos cargos de delegado de Obras, delegado de Polícia, chefe de Polícia, secretário-geral do Governo, prefeito de Rio Branco. Governou o Território Federal do Acre interinamente por cinco vezes até ser nomeado governador titular pelo presidente Juscelino Kubitschek. Como governador, Fontenele de Castro ergueu prédios, abriu estradas, construiu pistas de pouso e fez portos, entre outras que o consolidaram como chefe político atuante de tal forma que, no Território e no Estado por cuja autonomia lutou ferrenhamente, deixou sua marca na história desta terra que adotou como sua.

Em outra fase do prédio, restaurante O Casarão recebeu esse nome da família que o alugou de Darci Fontenele, herdeiro do coronel, e foi o primeiro a servir comida regional e alimento natural no Acre. O espaço possui características arquitetônicas ecléticas, que mesclam diversos elementos de diferentes épocas, representando um estilo regional com influência européia. Agora, após um longo período de abandono, ele foi amplamente reformado pelo Governo do Estado do Acre, mantendo a maior parte de suas características arquitetônicas.  Além disso, a parte superior do Casarão ganhou três novas salas, uma em homenagem ao jornalista cultural Chico Pop, outra de memória do próprio espaço, além de sala de multimeios e a terceira especialmente para exposição de artesanato.

O antigo e o moderno se encontram: Casarão tem acesso livre à internet

As intervenções para revitalizar o prédio foram as mais cuidadosas. "Utilizamos fotos antigas para garantir as características originais", disse o secretário de Obras Públicas, Eduardo Vieira. A área trabalhada é de 405,12 metros quadrados. Elementos de época foram mantidos mas os "puxadinhos", que não tinham relação com a planta original, foram removidos. Os serviços realizados foram a substituição das paredes em madeiras, preservando as da presente época; reforço estrutural nos pilares de época;  substituição  do forro; troca da estrutura de cobertura e telhamento; troca da pavimentação do térreo e superior em tábuas; troca de toda a instalação elétrica/lógica/ar condicionado/incêndio/hidrossanitária; criação de um estar com bancos e lixeiras; manutenção, no andar superior, das três salas originais; e ampliação em alvenaria que contemplou três pavimentos. O acesso principal tem rampa para portadores de necessidades especiais. Toda a área é hotspot, com acesso livre à internet através do programa Floresta Digital.

Companhia de teatro "invade" O Casarão em performance improvisada, característica do espaço que abrigou diversas manifestações culturais (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

O Casarão foi construído na década de 1930 por Abdon Massari  no Centro de Rio Branco. Apesar dos mais de oitenta anos, o prédio de madeira está  conservado  em sua parte central, mantendo características arquitetônicas sírias e libanesas, especialmente os lambrequins.

Como ponto de encontro, o Casarão recebeu pessoas de diferentes perfis - de intelectuais, boêmios, estudantes universitários a militantes partidários. A expressão 'território livre' apareceu na década de 1980, quando o local era restaurante.  Por causa da grande diversidade de freqüentadores,  a imprensa da época começou a chamar  o espaço de Território Livre, onde se estabeleceram, segundo os pioneiros freqüentadores, pensamentos hoje frequentes no universo acreano. "O Casarão foi um grande evento na sociedade acreana, do qual eu tive o privilégio de fazer parte", disse dona Gracinha, que junto com o marido, Walter, tocou o restaurante por vários anos. "O Casarão não é um lugar qualquer. A gente tem de pedir licença para entrar", afirmou o ex-deputado Marcos Afonso, referindo-se ao valor do prédio. Entre intelectuais, políticos e ativistas sociais, estiveram presentes a conselheira do Tribunal de Contas do Estado, Naluh Gouveia, e o pai do jornalista e agitador cultural Chico Pop, Francisco Moisés. 
 
Banda Mapinguari Blues abre jam session que marcou entrega do prédio revitalizadoA revitalização  partiu de uma demanda da sociedade. O Governo recebeu um abaixo-assinado com centenas de assinaturas com esse pleito.   Há muita memória sobre o espaço. O  músico Heloy de Castro fez ali o lançamento do primeiro  CD, em evento que reuniu inclusive o roqueiro Lobão. Para Heloy, trata-se do resgate de um marco social, político e cultural do Acre.  O escritor Silvio Margarido também participou da efervescência da época. "Que possa ser um espaço onde algo da nossa memória seja resgatado", observou Silvio. De seu lado, o jornalista e escritor Naylor George, o caldeirão intelectual e social vinha desde os primórdios do Casarão, quando ainda habitado pelos Fontenele. "Desde aquela época era ponto de encontro. As pessoas vinham para cá bater papo, comer tapioca, falar da vida alheia", relata Naylor. "Por aqui passaram pessoas de grande importância da música, cultura, boemia", completou.  À noite, ambos foram citados pelos que fizeram uso da palavra, como o ex-governador e senador eleito Jorge Viana, em cujo mandato se deu início ao estudo para tombamento . "Aqui a gente alimenta alma. É tão bom entrar num ambiente que abraça a gente", disse Jorge Viana.

Temporariamente, uma empresa irá manter o café bar de O Casarão.  O grupo Mapinguari Blues abriu a jam session que selou a entrega do Casarão ao povo do Acre.

História de encontros e desencontros

A casa de Fontenele abrigou a primeira piscina construída no Acre, onde se realizaram campeonatos de natação. A piscina foi aterrada décadas depois para dar lugar ao atual estacionamento. O prédio foi tombado pelo Conselho Estadual de Patrimônio Histórico e Cultural no dia 13 de agosto de 2009, por iniciativa da sociedade civil, sendo homologado no dia 30 de abril de 2010 pelo governador Binho Marques, através do decreto nº 5.235. Agora, está sendo devolvido à sociedade plenamente revitalizado pelo Governo do Acre e ficará sob proteção e vigilância do Poder Público Estadual, por intermédio do Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour.

Os encontros no Casarão não eram para falar só de política como também para saborear pratos tipicamente acreanos ou dançar ao som de música ao vivo, o que acabou se constituindo em uma inovação nos restaurantes locais. 

Agência de Notícias do Acre



quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Sistema de segurança pública se reúne para apresentar resultados das metas do segundo semestre de 2010

Samuel Bryan

Representantes das cinco regionais e das macro regionais, apresentam dados relacionados ao combate à criminalidade e sobre cumprimento das metas fixadas para o segundo semestre de 2010 (Fotos: Angela Peres/Secom)

O Secretaria Estadual de Segurança Pública realizou na manhã dessa terça-feira, 7, uma reunião entre os representantes das instituições que compõem o sistema de segurança pública, no auditório da Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer (Setul). A plenária foi realizada com o objetivo de que os representantes das 5 regionais do estado mais as macro regionais, apresentassem os dados relacionados ao combate à criminalidade, o número de delitos e o cumprimento das metas estabelecidas para o segundo semestre de 2010.

A reunião também foi marcada pela discussão da Metodologia de Solução de Problemas que funciona como base para a criação de metas de diminuição dos índices de criminalidade em três indicadores estratégicos: tentativa de homicídios, homicídios e roubo em três modalidades. Cada regional tem a sua meta e os resultados apresentados, mesmo faltando alguns dias para o fim do ano, já possuem um balanço positivo.

As reuniões são periódicas justamente para se discutir o que deu certo, o nível operacional, as respostas às ações, repasse de orientações, troca de informações e apoio. “As metas de diminuição da criminalidade estão sendo alcançadas. Além de todo o nosso trabalho, temos 600 novos policiais, novos delegados, contamos com aparelhamento, infraestrutura e o sistema SIGO que facilita os registros policiais”, avalia a Secretaria de Segurança, Márcia Regina.

A plenária ainda discute o que não está dando certo, o que precisa ser readequado e os desafios do presente e do futuro. “No passado, nós prendíamos muita gente e a violência não diminuía. Agora, nós prendemos menos e estamos cumprindo as metas de redução da criminalidade”, comenta o comandante da Polícia Militar, coronel Romário Célio.

O alcance desses resultados vem da ampla parceria e um grande esforço entre os órgãos de segurança, como Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Detran, Secretaria Estadual de Segurança Pública e outras entidades. “Isso tudo é resultado de investimentos na gestão da segurança pública, metodologias novas, aumento da apreensão de armas, flagrantes de roubos, tudo isso para garantirmos a segurança da população”, comenta a Secretária Márcia Regina.

Agência de Notícias

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Nos últimos dois dias Governo entrega 4 conjuntos habitacionais totalizando mais de 1.400 casas


Escrito por Edmilson Ferreira  


Unidades habitacionais construídas pelo programa Minha Morada contemplaram mais de 370 famílias nesta terça e quarta-feira e até o fim do ano serão mais 3 mil casas entregues

Conjuntos habitacionais Buritis e Jacarandá são entregues pelo governador Binho Marques e beneficiam centenas de famílias. Áreas têm completa infraestrutura e espaços de lazer (Fotos: Gleilson Miranda/Secom)

 
Em apenas dois dias, o Governo do Acre entregou 379 unidades residenciais do programa Minha Morada, o que beneficia diretamente 2.145 pessoas, sendo 725 crianças. Na manhã desta quarta-feira, 1, o governador Binho Marques participou de mais uma cerimônia de repasse das chaves de 195 casas do loteamento Recanto dos Buritis, no bairro Santa Inês, localizado no âmbito da Zona de Atendimento Prioritário  Santa Inês (ZAP 5).

Apenas com a implantação do conjunto, o Governo investiu mais de R$ 9,3 milhões. As casas são mistas (madeira/alvenaria), com dois quartos, sala/cozinha, WC, área de serviço e varanda. São ações integradas, coordenadas por um conjunto de órgãos e secretarias, uma cozinha comunitária, horta, a Praça da Juventude e escola. "Esta obra não é só entrega de casas. É entrega do aconchego, do lar", disse o governador ao expressar a proposta de fazer residenciais com menor número de casas em terrenos bem localizados.

Incluindo os projetos nas ZAPs,  o governo está destinando 10 mil unidades habitacionais para pessoas de baixa renda no Acre, e integra o programa do Governo Federal Minha Casa para atingir a meta. ZAP é um conceito de política pública para levar serviços básicos e estruturantes às comunidades mais carentes do Acre.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Cidade de Rio Branco fica mais bonita com a inauguração do Complexo Viário

Escrito por Edmilson Ferreira
População prestigiou solenidade de entrega das obras que integram a 4ª Ponte e Avenida Amadeo Barbosa

O governador Binho Marques foi recebido com muito carinho pela população na noite deste sábado durante a solenidade de inauguração do Complexo Viário 4ª Ponte e Avenida Amadeo Barbosa, em Rio Branco. A comunidade da região fez questão de prestigiar o ato de entrega da obra que garante qualidade de vida para todos os moradores da capital acreana. A ponte tem 290 metros de extensão por 19,30 de largura, promovendo a ligação das ruas Epaminondas Jácome e Seis de Agosto, criando os três primeiros viadutos da capital na Travessa Cearense, Rua Santa Terezinha e Avenida Epaminondas Jácome. A obra da ponte utilizou o que há de mais moderno na engenharia de pontes.

Ponte tem 290 metros de extensão por 19,30 de largura, promovendo a ligação das ruas Epaminondas Jácome e Seis de Agosto, criando os três primeiros viadutos da capital

Estiveram presentes o governador eleito, Tião Viana; o prefeito Raimundo Angelim ; o presidente do Tribunal de Justiça, Pedro Ranzi; a deputada federal Perpétua Almeida, o representante da Assembleia Legislativa, deputada Elson Santiago, autoridades civis, militares, religiosas, lideranças comunitárias, empresariais,  e  o empresário Jimmy Barbosa, filho de Amadeo Barbosa. "Tive a alegria de participar da inauguração de todas as pontes de Rio Branco e estamos aqui agora com a 4ª Ponte. Fiquei muito feliz com a obra, que foi feita com os padrões da ética e da estética", disse o governador Binho Marques.

"Quando os sonhos encontram a vontade de realizar, a vida das pessoas muda para melhor", é o texto da placa inaugural descerrada pelas autoridades no ato de inauguração. Na ocasião, a cantora Verônica Padrão interpretou a canção "Rio estanho", de Pia Vila.

Somadas as duas obras (ponte e avenida Amadeo Barbosa) o Governo  investiu  R$ 72 milhões no projeto. Pelo menos dez mil famílias vivem diretamente os benefícios do Complexo Viário. Seus reflexos, no entanto, são comparados aos do Parque da Maternidade, que transformou a paisagem e atendeu a capital como um todo. São cerca de oito quilômetros de ruas e avenidas em intervenção pelas obras do complexo.

A 4ª Ponte sobre o rio Acre está apontada como obra prioritária no Plano Diretor de Trânsito e Transporte de Rio Branco, que é um banco de dados construído pelo Governo e Prefeitura para apoiar a política para o setor durante os próximos dez anos. Os recursos foram obtidos junto ao Tesouro Estadual e ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Fase III e IV. As obras foram lançadas em novembro de 2008 como parte da programação comemorativa aos 105 anos do Tratado de Petrópolis. Diretamente, os bairros que estão sendo beneficiados com o complexo de obras do novo eixo viário são: Cadeia Velha, Areal, Mauri Sergio, Habitasa, Baixado da Habitasa e Seis de Agosto, e outros. Centenas de famílias foram remanejadas, receberam indenização ou uma nova casa em projeto habitacional do Governo, num processo de intervenção que contou com equipe de assistentes sociais e acompanhamento da Procuradoria Geral do Estado. A antiga pista de pouso foi aproveitada em uma rede de acesso a Via Chico Mendes, Estádio Arena da Floresta, Via Verde e BR 364 pelo bairro Areal, onde o Departamento de Estradas de Rodagem, Hidrovias e Infraestrutura Aeroportuária do Acre (Deracre) instalou uma rotatória.

O Governo do Estado atuou de forma criteriosa para que os benefícios fossem os maiores possíveis. Foram construídas quatro praças nos bairros Cadeia Velha, 6 de Agosto, Loteamento Cardoso e Entrada do Areal; uma escola e um  mercado para oito comerciantes de peixes, tradicional na região do Areal. Em parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) o consórcio responsável pelas obras doou materiais de construção para a comunidade.  Com apoio do Deracre, foi realizado um mutirão de pintura, troca de telha, substituição de lâmpadas e vários outros serviços. Pelo menos 200 residências foram beneficiadas pela ação comunitária. Um grande show com o cantor Latino marcou a entrega da obra. "Agradecemos muito a parceria com as comunidades", disse o diretor-presidente do Deracre, Marcus Alexandre. O prefeito Raimundo Angelim disse que com esta inauguração, Binho antecipou o presente de aniversário de Rio Branco, que será comemorado em dezembro próximo. "O que deixa a gente muito contente é que o governador Binho sempre foi conhecido como educador, mas fez aquilo que o Acre estava precisando, dar continuidade ao trabalho iniciado pelo Jorge Viana, criar infraestrutura no Acre".

Parte da região é de propriedade privada e foi doada pelo empresário Jimmy Barbosa, procurador de sua mãe, Eloísa Levy Barbosa, herdeira de seu marido, Amadeu Barbosa, cujo nome batizará a mais importante avenida do eixo. O governador eleito, Tião Viana, lembrou que também é morador da comunidade beneficiada e que a inauguração "é um belo presente de Natal que o governador Binho Marques nos dá".  E completou: "Binho trouxe o encontro dos sonhos para estas gerações".

Amadeu Barbosa, cujo nome presta homenagem à obra, nasceu na cidade de Vizeu, em Portugal. Viveu e trabalhou nos seringais do Acre durante décadas. Foi dono do Seringal Belo Jardim, que deu origem a vários bairros de Rio Branco. "Trago o agradecimento muito profundo de minha mãe pela lembrança de dar o nome de meu pai a esta obra", disse Jimmy Barbosa.

    "A cidade de Rio Branco ganha qualidade de vida com esta obra."
    Binho Marques, governador do Acre

Humanização: a marca de uma grande obra

Sobretudo, o Complexo Viário Amadeo Barbosa humaniza uma região antes abandonada ou em degradação. Apenas em espaços de convivência, o Governo construiu quatro praças. Na avenida construída na velha pista de aviação, as pessoas poderão realizar caminhadas com segurança em grandes percursos cercados pelo verde da região. "Além disso, trará, de modo gradativo, impactos no trânsito da capital, já que os motoristas terão essa opção para seguir tanto ao Centro quanto a outras regiões, como o Bosque", explicou Marcus Alexandre, diretor-presidente do Deracre. Ao sair da 4ª Ponte, o motorista logo encontra a rua Peru, no bairro da Habitasa. Nos horários de pico, mais de 2.000 veículos transitam pelas pontes Metálica e Vanderlei Dantas.

Trata-se, fundamentalmente, de mais uma obra de inclusão social e promoção humana. O trânsito será alterado a partir deste sábado, 27, no Centro de Rio Branco após a inauguração da 4ª Ponte/Avenida Amadeo Barbosa. O sentido permanece o mesmo nas avenidas Ceará e Epaminondas Jácome e em parte de ruas da Habitasa na região de acesso ou saída da 4ª Ponte.
Espaços de alto nível, áreas de modelismo, lazer e esporte: mais qualidade de vida

Aeromodelistas estarão realizando, neste domingo, 28, uma apresentação de inauguração da pista de aeromodelo construída com todas as especificações técnicas para a prática desse esporte. Em Rio Branco há cerca de 30 praticantes e, com a pista - que inclusive conta com hangar para os aviões - a previsão é que esse número cresça consideravelmente.

A pista, usada também para automodelismo, conta com pit lane para doze carros. O automodelismo é outro esporte que tem grande expectativa de crescimento. Até pouco tempo, os praticantes utilizam a pista antiga, considerada inadequada para o esporte. "Agora ficou muito bom. Temos um lugar para fazer os voos", disse Mário Gonçalves, um dos organizadores do aeromodelismo acreano.

A antiga pista de pouso foi aproveitada para uma artéria de acesso a Via Chico Mendes, Estádio Arena da Floresta, Via Verde e BR 364. Em suas laterais foi  implantado um parque com espaços e arborização que o deixaram  parecido com o Parque da Maternidade, com sistema que privilegia primeiro o pedestre, o ciclista e o motorista. Nas tardes de tempo bom aos domingos o aeromodelismo e o automodelismo são mas duas atrações na bela via inaugurada pelo governador Binho Marques.

Sergio Roberto da Costa Matos, presidente da Associação dos Moradores do Bairro Seis de Agosto, fez os agradecimentos em nome de todos os moradores dos bairros diretamente beneficiados: "para nós é uma honra estar aqui recebendo esta obra. A gente sonhou 26 anos com esses benefícios que agora se materializam". 
Agência de Notícias

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Vereadores preparam Audiência Pública de amanhã dia 25

Os Vereadores da Câmara Municipal de Tarauacá preparam hoje 24/11 a Audiência Pública sobre Segurança Pública que se realizará amanhã nesta Casa. A mesma contará com a participação de autoridades e sociedade civil organizada.


Os Vereadores acreditam que desse movimento sairão metas para o combate a criminalidade e consequente diminuição da violência no município.

CÂMARA MUNICIPAL DE TARAUACÁ

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Governo do Acre e BNDES vão investir R$ 70 milhões para fortalecer ações ambientais no estado

Contrato para liberação dos recursos foi assinado pelo Governador Binho Marques e diretor do Banco Nacional do Desenvolvimento
 
Governador Binho Marques, deputado Edvaldo Magalhães e secretário Gilberto Siqueira converam com o Diretor das áreas de Inclusão Social e de Crédito, Elvio Gaspar (Fotos: Sérgio Vale/Secom)
O governador Binho Marques e dirigentes do BNDES assinaram nesta sexta-feira, 19, contrato que destina R$ 70 milhões para um projeto de fortalecimento das ações ambientais no Estado, com recursos provenientes do Fundo Amazônia. São R$ 60 milhões do BNDES e R$ 10 milhões de contrapartida do governo acreano. A assinatura ocorreu em Brasília, com a presença de secretários de estado e assessores. Pelo BNDES, participou o diretor das áreas de Inclusão Social e de Crédito, Elvio Gaspar.

Os recursos, não reembolsáveis, irão para o projeto Valorização do Ativo Ambiental Florestal. O objetivo da iniciativa, com duração de 36 meses, é fortalecer e ampliar a atual política pública estadual de valorização do ativo ambiental por meio da gestão territorial integrada, de ações de fomento às cadeias produtivas florestais e agroflorestais e de incentivo técnico e financeiro aos serviços ambientais.

"Não estamos criando um projeto novo, mas fortalecendo o que já existe. O futuro governador Tião Viana poderá dar continuidade à esses projetos que começaram em 1999. Fico feliz em saber que uma instituição sólida como o BNDES vê no Acre uma referência", afirmou o governador Binho Marques. "Dizemos aos outros estados que só financiamos projetos que tenham um bom planejamento e que eles podem aprender muito com o Acre", ressaltou Elvio Gaspar.

O Estado do Acre é considerado modelo na promoção de políticas para o desenvolvimento sustentável e para a implementação de atividades produtivas alinhadas com a conservação da floresta. O projeto, que complementa uma série de ações integradas e articuladas entre diversos órgãos do governo estadual e outras instituições parceiras, está estruturado em dois grandes blocos de atuação independentes. No primeiro deles, o foco é a consolidação da estratégia de gestão territorial fundamentada no Zoneamento Ecológico-Econômico. Entre as ações previstas estão: fortalecimento do Instituto de Meio Ambiente do Acre e da Secretaria Estadual de Florestas; modernização da Unidade Central de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto (UCEGEO); e elaboração de Planos de Prevenção e Controle de Desmatamento e Queimadas Municipais, a ser realizado em parceria com as prefeituras.

Contrato destina R$ 70 milhões para um projeto de fortalecimento das ações ambientais no estado (Foto: Sérgio Vale/Secom)

O segundo componente do projeto prevê ações de fomento às cadeias produtivas florestais e agroflorestais para a redução do desmatamento e de incentivos aos serviços ambientais em duas áreas definidas como prioritárias pelo governo, por sofrerem influência direta das obras da rodovia BR-364 (que liga a capital, Rio Branco, à cidade de Cruzeiro do Sul). Com  2,1 milhões de hectares - sendo 895 mil no município de Tarauacá (Área 1) e 1,2 milhões nos municípios de Feijó e Manuel Urbano (Área 2) -, essas duas áreas envolvem 10 cooperativas de manejadores florestais e de pequenos agricultores, além de três associações indígenas. Aproximadamente 12 mil pessoas serão beneficiadas.

O foco nas pequenas propriedades é resultado da dinâmica de desmatamento registrada atualmente no Acre. Apesar da queda contínua dos últimos anos - houve redução de 72% entre 2005 e 2009, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) - há uma crescente participação dos desmatamentos em áreas inferiores a 5 hectares, que correspondem a cerca de 60% dos polígonos de desmatamento. Do desmatamento total do Estado até 2009, 35% ocorreu em projetos de assentamento, que concentra metade da população rural do Estado.

Um laboratório para seleção de mudas florestais e frutíferas também deverá ser criado, aperfeiçoando a eficácia de plantio e dando escala para atender ao crescimento da demanda. Cabe ressaltar que a produção florestal do Acre (madeireira e não madeireira) é a atividade econômica mais importante do Estado, responsável por 16,8% do valor bruto da produção, enquanto que a agropecuária participa com 4,8%. A floresta da região possui uma variedade de produtos demandados pelas indústrias cosmética, alimentícia e farmacêutica, entre eles açaí, copaíba, unha-de-gato, andiroba e buriti.

"Esse projeto permite que não sejam apenas investimentos em fiscalização, mas em alternativas de produção sustentável", salienta Binho Marques. "O Acre está trilhando um caminho de sucesso. Temos como exemplo a sanção da Lei que cria o Sistema de Informações Ambientais (SISA) e o ato de hoje mostrou que nosso estado está no rumo certo", afirmou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Edvaldo Magalhães, que também esteve presente na ocasião. 

Agência de Notícias

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

NOVEMBRO ESTÁ SENDO O MÊS DO FUTEBOL


Fizemos um encontro sócio-esportivo no campo do VEGETAL aqui em Tarauacá com os alunos de 10 Turmas de ensino médio da zona rural do programa asas da florestania e conseguimos atingir todo o município.


Esse programa é financiado pelo governo do Estado e dirigido pela nossa representante aqui em Tarauacá do Núcleo de Educação a Professora Francisca Aragão. 



Os professores trouxeram uma idéia que eu achei excelente e então resolvi patrocinar o transporte a premiação etc.






 
Compareceram os alunos e professores, do Rio Tarauacá turma da União, do América e do Sacado. 






Do Murú as turmas do Paraíso, do Cardoso, do Colombo, e finalmente da estrada compareceram as turmas do Incra, do Gregório, do Socó e do Esperança.




Tivemos também uma pequena disputa entre os Professores do ensino fundamental contra os do ensino médio.








sexta-feira, 12 de novembro de 2010

EM VIAGEM AO ACURAUA DETECTEI PROBLEMAS COM O TRANSPORTE DA PRODUÇÃO

Dia 05 fiz uma viagem ao rio Acuraua junto com o Derzi que também trabalha no Núcleo de Educação para verificar o andamento das reformas das escolas do Pró Acre do Estado, e lá conversando com a comunidade e sua representante o Presidente da associação agro-florestal o Sr. Aldenir pude ouvir algumas reclamações como, por exemplo, a do transporte da produção, que o ideal e acordado, seria uma vez por semana e só está acontecendo uma vez por mês.

Como vocês podem ver nas fotos abaixo os igarapés estão bem congestionados. 







Já fiz
requerimento a Prefeitura Municipal para que esse transporte seja regularizado o mais rápido possível, já que a falta do mesmo gera perda de lucro aos agricultores, pois, se tem que pagar frete até a cidade.






segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Viaja Mais Jovem Internacional leva 300 alunos acreanos ao Peru

Escrito por Ernani Baracho  
 
Intercâmbio é uma iniciativa das secretarias de Educação e Turismo
 
Mais de 300 alunos de 18 escolas públicas do Estado participam do projeto Viaja Mais Jovem.Parte dos alunos embarcou neste sábado para o Peru (Fotos: Mardilson Gomes/SEE)

A história de uma das civilizações mais emblemáticas e avançadas do planeta vai sair dos livros para ser conhecida na prática por alunos de 18 escolas da rede pública de ensino do Acre. A primeira turma de estudantes a visitar a cidade de Cuzco, no Peru, foi da Escola Barão do Rio Branco. Os 30 alunos acompanhados de professores das disciplinas de Espanhol  e História embarcaram no último sábado, 6 de novembro.

Intitulado de Viaja Mais Jovem Internacional, o programa é promovido pelas secretarias de Esporte, Turismo e Lazer e de Educação e tem como base o projeto piloto desenvolvido pelo Ministério da Educação e do Turismo, Viaja Mais Jovem, que levou 600 estudantes do Acre em 2009, a conhecerem diversos municípios do Estado com objetivo de incentivar a cultura e o espírito cívico dos alunos, contribuindo para a qualidade de ensino e a dinamização da atividade turística.

Em Cuzco, a turma será recepcionada por guias turísticos e representantes de órgãos turísticos e educacionais que apresentarão a historia cultural, social e econômica da região.De acordo com a professora de Lingua Espanhola, Cristiane Cian, a iniciativa vai contribuir de forma especial para reforçar a aprendizagem da língua. "Vou exigir deles o uso da língua espanhola nos diálogos. Acho muito importante essa valorização da cultura. Isso faz com que eles cada vez mais se interessem pelos estudos.Estão aqui hoje os melhores alunos.É uma forma de presenteá-los", diz a professora.

Os critérios para a seleção dos 300 alunos do ensino médio, que terão a oportunidade pela primeira vez de conhecer outro país, e até mesmo viajar de avião, são média escolar de no mínimo 7,0 em cada disciplina, participação ativa de todas as atividades promovidas pela escola (Feiras de Conhecimento, Gincanas etc.), 75% de freqüência entre outros.

Os amigos Yuri e Bernardo vão conhecer na prática o que veem apenas nos livros (Foto: Mardilson Gomes/SEE)

Os amigos Bernardo Iago, de 17 anos e Yuri Savoff,  de 16 , se mostram entusiasmados pela experiência única em suas vidas. Os jovens, que nunca viajaram de avião e conhecem a cultura Inca apenas pelos livros revelam interesses nos assuntos relacionados ao meio ambiente e economia. "Minha expectativa é saber da relação do povo Inca com o meio ambiente e também como viviam economicamente e socialmente, comenta Bernardo.Já para Yuri , a interação com os habitantes locais e suas crenças é o assunto que desperta sua atenção.

Emocionada com a oportunidade dada ao filho Bernardo, Irlanda Bezerra, acredita que o intercâmbio ajudará no futuro educacional de todos os contemplados. "A cultura Inca gera interesse de todo o mundo.Creio que a iniciativa só aumenta o conhecimento e o interesse pela história das civilizações.Através dessa viagem, já estamos planejando a nossa com toda família para o próximo ano", revela Irlanda.

Para a chefe de divisão de turismo do Acre, Ediza melo, a idéia fortalecer o intercâmbio cultural entre os jovens dos dois países, além de despertar o interesse turístico. "Com as viagens vamos fortalecer ainda mais a amizade entre os países fronteiriços, pois a intenção é também recebermos a visita dos estudantes peruanos".

A última viagem de intercâmbio está prevista para acontecer no dia 10 de dezembro, com os alunos das escolas Clicia Gadelha e Lourenço Filho.O  intercâmbio, que dura três dias, inclui hospedagem, alimentação e translado.  

Agência de Notícias do Acre

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

“A renovação será expressiva”, diz Tião sobre secretariado

Rutemberg Crispim, do site Agazeta.net  

Nomes dos novos secretários serão anunciados no dia 18 de dezembro; Equipe de Binho preparou relatório das secretarias

Governador eleito garante que mudanças são necessárias (Foto: Sérgio Vale)

O governador eleito do Acre, Tião Viana (PT) realizou na manhã desta quarta-feira, 3, nos altos do Mira Shopping, a primeira reunião da equipe de transição de Governo. O anúncio dos novos secretários será feito no dia 18 de dezembro, um dia após a diplomação dos eleitos nas últimas eleições.

Os trabalhos da equipe de transição serão coordenados pelo professor José Fernandes do Rego. No primeiro momento acontecerá o recebimento das informações. Em seguida essas informações serão organizadas de acordos com o modelo da transição e, por fim, haverá um complemento daquilo que é prioridade.

"Estamos trabalhando no primeiro momento a parte técnica e política da transição. Vamos organizar todas as informações, vamos ajustá-las de acordo com aquilo que é essencial para ser levado à diante", afirmou Tião Viana.

Ele revelou ainda que "mudanças expressivas devem acontecer na equipe de Governo". Tião Viana afirmou que haverá uma renovação expressiva no secretariado, garantindo a concretização do seu plano de Governo.

"É natural que aconteça uma renovação. Muitos acham que já cumpriram sua etapa na gestão. Outros acham que ainda podem contribuir. Mas teremos mudanças significativas no secretariado", garantiu.

Tião Viana disse que vai trabalhar para que seja dada uma resposta rápida às necessidades da população nas áreas da Saúde e Segurança Pública. "É evidente que a população quer uma resposta imediata nessas áreas e vamos trabalhar para isso", assegurou.

Participaram da reunião, o governador Binho Marques, o senador eleito Jorge Viana, o secretário de comunicação, e primeiro suplente de senador, Aníbal Diniz, o presidente da Aleac, deputado Edvaldo Magalhães, além de secretários e lideranças políticas da Frente Popular do Acre (FPA).

Binho prepara relatório de sua gestão

O governador Binho Marques afirmou que cada secretaria preparou um relatório para ajudar na transição. A intenção, segundo ele, é colaborar para que o processo aconteça com qualidade, garantindo as condições para que os novos secretários possam continuar trabalhando pelo desenvolvimento do Estado.

Binho Marques disse que vai trabalhar para garantir "transição de qualidade"


"Esse encontro é fundamental. A qualidade de um Governo depende da transição. O governador não pode continuar o Governo anterior do mesmo jeito, pois são novos desafios. Essa é uma equipe de reflexão e que tem um papel importante nesse processo. Eu e minha equipe vamos trabalhar muito para que a equipe do Tião receba todas as informações, tenha um bom conhecimento de como tudo está funcionando, para que seja um Governo bem melhor do que o meu", afirmou.

Binho disse ainda que nesses dois meses está se preparando para deixar o Governo com sentimento de felicidade porque o Estado será administrado por Tião Viana, que segundo ele, tem uma preocupação especial com o povo acreano.

"Vou sair feliz porque o Acre está iniciando uma nova etapa com um governador que é extremamente envolvido com o Acre, apaixonado pelo nosso Estado e pelo nosso povo. Alguém comprometido em melhorar a vida dos mais necessitados", destacou.  

A Gazeta.net

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

DILMA ROUSEFF (PT) É ELEITA A PRIMEIRA MULHER PRESIDENTE DO BRASIL


DE SÃO PAULO

Dilma Rousseff (PT) é eleita a primeira mulher presidente do Brasil.

Com 93,25% dos votos apurados, a candidata petista alcançou até o momento 55,43% dos votos válidos, tem 51,5 milhões de votos e matematicamente já não pode ser alcançada pelo tucano José Serra, que, com 44,69%, tem 41,4 milhões.

Votos nulos somam 4,4%, e brancos, 2,3%.

A abstenção gira em torno de 21,1%.

O eleitorado brasileiro é de 135 milhões de pessoas.

CANDIDATURA

Ex-ministra de Minas e Energia e da Casa Civil, Dilma foi alçada já em 2008 à condição de candidata pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que começou então a dar as primeiras indicações de que gostaria de ver uma mulher ocupando o posto mais importante da República.

Em 31 de março deste ano, Dilma deixou a Casa Civil para entrar na pré-campanha.

Cresceu nas pesquisas e chegou a ter mais de 50% dos votos válidos em todas elas, mas começou a oscilar negativamente dias antes do primeiro turno, após a revelação dos escândalos de corrupção na Casa Civil e da entrada do tema do aborto na campanha.

Logo no primeiro debate do segundo turno, reagiu aos ataques que vinha sofrendo e contra-atacou Serra. A partir daquele momento, a diferença entre os dois candidatos nas pesquisas parou de cair.

Dilma se torna neste domingo o 40º presidente da República brasileira.
    Sérgio Moraes/Reuters  
 
Militantes petistas saem às ruas de Brasília para festejar a eleição de Dilma Rousseff à Presidência da República


NOME FORTE

Dilma tornou-se um nome forte para disputar o cargo ao assumir o posto de ministra-chefe da Casa Civil, em junho de 2005, após a queda de José Dirceu no escândalo do mensalão.

No comando da Casa Civil, Dilma travou uma intensa disputa com o então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, por causa da política econômica do governo. Enquanto ele defendia aperto fiscal, ela pregava aceleração nos gastos e queda nos juros.

Dilma acabou assistindo à queda de Palocci, em março de 2006, devido à quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa.

Com a reeleição de Lula e sem grandes rivais à altura no PT, Dilma tornou-se, depois do presidente, o grande nome do governo.

Apesar do poder acumulado e do protagonismo que passou a exercer ao lado de Lula, até outubro de 2007 Dilma negava que seria candidata.

MINAS E ENERGIA

Sua atuação à frente do Ministério de Minas e Energia rendera-lhe a simpatia do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que enxergou na subordinada, de perfil discreto e trabalhador, a substituta ideal para o posto de Dirceu.

Ela foi indicada para o ministério logo após Lula se tornar presidente, em 2002. No comando da pasta, anunciou novas regras para o setor elétrico além de lançar o programa Luz para Todos --uma das bandeiras de sua candidatura.

O novo marco regulatório para o setor elétrico --lançado em 2004-- foi considerado a primeira iniciativa do governo Lula, na área de infra-estrutura, de romper com os padrões do governo FHC, marcado pelo "apagão" de 2001.

A principal característica do novo marco foi o aumento do poder do Estado em detrimento da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

ORIGEM
O pai de Dilma, Pedro Rousseff, veio para a América Latina na década de 30 do século passado. Viúvo, deixara um filho, Luben, na Bulgária. Passou por Salvador, Buenos Aires e acabou se instalando em São Paulo. Fez negócios na construção civil e com empreitadas para grandes empresas, como a Mannesmann.

Já estava havia cerca de dez anos no Brasil quando, numa viagem a Uberaba, conheceu a professora primária Dilma Jane Silva, nascida em Friburgo (RJ), mas radicada em solo mineiro. Casaram-se e tiveram três filhos. Igor nasceu em janeiro de 1947, Dilma, em dezembro do mesmo ano, e Zana, em 1951. A família escolheu Belo Horizonte para morar.

Levavam uma vida confortável. Passavam férias no Espírito Santo ou no Rio. Às vezes, viajavam de avião. Não era uma clássica família tradicional mineira. Os filhos não precisavam ter uma religião. Escolhiam uma fé se assim desejassem. O pai frequentava cassinos, gostava de fumar e beber socialmente.

Quando morreu, em 1962, Pedro deixou a família numa situação tranquila. Cerca de 15 bons imóveis garantem renda para a viúva Dilma Jane até hoje. Um dos apartamentos fica no centro de Belo Horizonte.

Folha on line

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

MAIS UM BEM SUCEDIDO CAMPEONATO DE FUTEBOL NA FLORESTA


Final do campeonato no Seringal América
Como sempre faço porque é de meu agrado e por isso faço com muito carinho, terminamos mais um campeonato de futebol na zona rural encravada no meio da floresta amazônica.

Finalizamos o campeonato de Futebol de campo na comunidade indígena Cocameira no rio Tarauacá. Participaram quatro times finalistas, foram eles:

União (camisa amarela), Porto Seguro(camisa azul), América e o ASAFFOC.

Sagrou-se campeão o União a quem dou os parabéns aos atletas pelo espírito desportivo e não poderia deixar de agradecer aqui também ao Professor Anchieta do programa asas da florestania que coordenou todo o projeto viabilizando sua realização.

  
Aos meus amigos também Manoel (ensino médio) e o Gleisomar (do ensino fundamental, 5ª à 8ª série) os meus sinceros agradecimentos por toda ajuda e dedicação. Sem vocês esse seria mais um projeto que se iniciaria e não terminaria, mas com vossa perseverança chegamos a final
do campeonato que foi muito gratificante para todos.


O vice-campeonato ficou com a equipe do Porto Seguro do igarapé Apuanã que vocês podem ver ostentando a camisa azul.



Indígenas
Escola indígena

Cumprimentos

Torcida do ASSAFOC

Confraternização

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

A educação que dá asas

  Escrito por Tatiana Campos  

Valdemira ensina a mãe, dona Francisca, a escrever as primeiras palavras que ela aprendeu com o programa Asas da Florestania (Fotos: Angela Peres/Secom).
Pacientemente, Valdemira pega a mão da mãe, endurecida pela vida difícil nos roçados e nas estradas de seringa, e, risco a risco, vai desenhando as primeiras letras até formar uma frase. Essa dedicação e esse carinho, que dona Francisca Coelho nunca encontrou em nenhuma outra professora a não ser na própria filha, fizeram com que ela, aos 64 anos, aprendesse aquele que talvez seja o maior desejo de quem não é alfabetizado: escrever o próprio nome.

Para chegar à Colocação Humaitá, na Reserva Extrativista Chico Mendes, em Assis Brasil, é preciso um carro com tração nas rodas e, de preferência, um pouco de sol para "enxugar" o ramal. É lá que mora Valdemira e a família dela. São mais ou menos 40 minutos da casa de Valdemira até o ramal principal, e de lá, mais 20 minutos até a escola. Esse caminho é percorrido todos os dias, de chuva ou de sol pela Toyota que faz o transporte escolar dos alunos.

Valdemira casou cedo, teve dois filhos, voltou pra casa dos pais após o término do casamento. Filha mais nova de uma família de 11 irmãos, leva uma vida simples, na rotina de quem mora na floresta: fica em casa com a mãe e as crianças enquanto os irmãos e cunhadas ajudam nos roçados e na extração de látex.

Aos 25 anos ela se esforça para seguir um caminho que nenhum dos dez irmãos teve a oportunidade de trilhar: sentar num banco de escola. Valdemira é uma das alunas de um programa educacional de vanguarda na Amazônia: o Asas da Florestania. O direito ao estudo é constitucional. Mas a realidade amazônica impõe desafios de gigante entre o que diz a lei e o que se consegue alcançar.

Valdemira é aluna do Asas da Florestania Fundamental, que trabalha do 6º ao 9º ano. Há também o Asinhas, para o ensino infantil, e o Asas Médio.

O pouco saber que tem, Valdemira divide em casa com os pais e os irmãos. Ao chegar da escola, no fim do dia, ela reúne a família para, pacientemente, ensinar as primeiras lições. A mãe, Francisca Coelho, nasceu e se criou em seringais. Nunca pôde colocar os pés numa escola e também não teve o prazer de dar esta oportunidade aos filhos. A única que teve o privilégio foi Valdemira. "A escola não era perto de casa, precisava de roupa, sapato. A vida sempre foi muito difícil", explica. Hoje, aos 62 anos, Dona Francisca pode dizer que sabe escrever o nome e reconhecer as letras do alfabeto. É a filha caçula que pega na mão da mãe e desenha com ela as primeiras frases de sua vida. "Pra mim é um orgulho que não tem tamanho ver a minha filha me ensinar. Eu nunca me senti bem para aprender com mais ninguém, sempre tive vergonha de não saber ler e escrever. Agora esse tempo na minha vida já passou", disse. 
Leia mais aqui